Tudo sobre Eduardo Kac: quem é o artista digital? Como começou na Arte Digital? Confira: obras famosas, prêmios recebidos, livros e + [LISTA]

Bioarte, Holopoesia e Telepresença: conhece alguma dessas manifestações artísticas? No post de hoje, falaremos sobre as obras do brasileiro Eduardo Kac, um artista digital mundialmente famoso que navega até a engenharia genética em suas experimentações.

Por aqui, já contamos a história da Arte Digital, certo? Agora, daremos início a uma série de posts sobre os ícones dessa linguagem artística que lança mão das inovações tecnológicas. Afinal, “a verdadeira arte sempre redefine seus parâmetros”, como diria o próprio Kac.  

3 curiosidades sobre o Eduardo Kac

A seguir, veja como foi o início da carreira de um dos expoentes da Arte Digital na atualidade. Depois disso, confira suas obras famosas, inclusive as que foram registradas como Non-Fungible Token (NFT), visto que elas se enquadram como Cripto Arte

1. Quem é o Eduardo Kac?

O carioca Eduardo Kac é um artista que ganhou renome internacional por suas experiências com Bioarte e Telepresença. Nesse sentido, “sua prática artística explora as fronteiras entre o humano e o não humano, o vivo e o não vivo, o local e o remoto”.

Se você curte os TED Talks, saiba que o vanguardista já foi um dos palestrantes no TEDx de Viena. A propósito, dê o play para assistir ao vídeo “What if art could truly create biological life?” e, logo em seguida, continue a leitura do nosso artigo, okay? 

2. Quando o Eduardo Kac começou como artista digital?

Desde os anos 1980, Eduardo Kac se pergunta “e se…”? Não por acaso, as respostas que ele buscava encontram-se na conexão entre a ciência e a arte. Unindo a inovação com a New Media Art, ele desenvolve trabalhos que integram biotecnologia, estética e até política.

3. Como foi o começo do Eduardo Kac na Arte Digital?

Kac inovou ao criar trabalhos digitais e holográficos no início da década de 1980, ainda no Brasil. Em outras palavras, ele antecipou a cultura global e conectada que temos hoje, o que lhe conferiu o renome internacional como um dos pioneiros da Arte Digital.

Em 1997, ele cunhou o termo Bioarte em sua obra-experiência Cápsula do Tempo, que teve lugar na Casa das Rosas, em São Paulo. Anos depois, sua fama se expandiu em larga escala com a coelha transgênica Alba, a GFP Bunny, criada com a engenharia genética.

Outra obra de destaque foi a “plantimal” Edunia de 2009, cujo nome vem da amálgama entre Eduardo e Petúnia. Isso porque o projeto História Natural do Enigma, que rendeu o prêmio Golden Nica, consiste na mistura do material genético dele com o da flor. 🧬🌺😮

E esses são só alguns exemplos das obras que abordaremos mais adiante. Quer um spoiler? As criações de Kac contemplam diversas linguagens que ficam em algum lugar entre Arte Visual, Literatura e Arte Digital, inclusive:

  • Animação
  • Arte Espacial
  • Arte Olfativa
  • Bioarte
  • Desenho
  • Fotografia
  • GIF Art
  • Gravura
  • Holografia
  • Litogravura
  • Performance
  • Poesia
  • Serigrafia
  • Telepresença
  • Vídeo Digital

Então, para conhecer mais sobre a trajetória e as obras deste vanguardista, basta ler o artigo até o final! Bora lá?

Artcetera - perfil Spotify

10 obras mais famosas do Eduardo Kac

Finalmente, confira os trabalhos mais famosos do Eduardo Kac, com várias técnicas de Arte Digital, Olfativa e Visual. Isso inclui: Bioarte, Poesia Visual, Holografia, Pintura Digital, Arte Espacial, Serigrafia, Telepresença e Aromapoesia, sendo que algumas obras são NFTs.  

1. Cypher | Escultura, Livro de Artista e Kit Transgênico DIY

Cypher é um convite para “ativar um conjunto de procedimentos que fundem arte e poesia, vida biológica e tecnologia, leitura/visualização e participação cinestésica”. Neste mini laboratório móvel, o poema se realiza pela transformação do DNA sintético, sabia?

Aqui, “o gesto poético chave em ‘Cypher’ é colocar nas mãos do espectador a decisão e o poder de literalmente dar vida à arte”. Ou seja, essa obra que mescla escultura, livro de artista e kit transgênico DIY (do it yourself) é impactada pela ação do interlocutor:

“A obra literalmente ganha vida quando o espectador/leitor/usuário segue o protocolo no livreto e integra o DNA sintético nas bactérias (a “transformação”). As bactérias (normalmente pálidas) brilharão em vermelho, mostrando através deste marcador visual transgênico que a obra agora está viva. 

Como na divisão bacteriana, 2 células idênticas (clones) são sempre produzidas. Após a transformação, o poema será plenamente integrado ao sistema celular da bactéria e, portanto, estará presente em cada nova reprodução da bactéria”.

Eduardo Kac Cypher

Fonte: EKac | Cypher

Manifesto da Bioarte

“Bioarte é a arte que trabalha literalmente no continuum da biomaterialidade, desde DNA, proteínas e células até organismos completos. A Bioarte manipula, modifica ou cria a vida e os processos vivos.

Na manipulação dos processos biológicos, a Bioarte intervém diretamente nas redes dos vivos.

A vida tem uma especificidade material que não é redutível a outros meios.

Sem intervenção biológica direta, a arte feita exclusivamente de acrílico, papel, pixels, plástico, aço ou qualquer outro tipo de matéria inanimada não é Bioarte.

Todos os materiais de arte têm implicações éticas, mas são mais urgentes quando a mídia está viva. Defendemos uma Bioarte ética: ética com respeito a humanos e não humanos.

Alguns bioartistas usam mídia viva para expressar preocupações humanas, enquanto outros bioartistas celebram organismos não humanos e nossas conexões com eles.

A Bioarte não tem obrigação de tematizar temas relacionados à biologia ou à vida.

Confiamos que o público da arte reconheça que, como a Bioarte está viva, toda Bioarte tem implicações políticas, sociais, culturais e éticas, sejam elas explicitadas ou não pelo artista.

A Bioarte desafia as fronteiras entre o humano e o não-humano, o vivo e o não-vivo, o natural e o artificial.

Este manifesto recapitula e reafirma questões abordadas em nosso trabalho desde o início.”

Eduardo Kac, Marion Laval-Jeantet, Benoît Mangin, Marta de Menezes, George Gessert e Paul Vanouse

Fonte: EKac | What Bio Art Is: A Manifesto

2. GFP Bunny: Alba, a Coelhinha Transgênica | Arte Transgênica

Já ouviu falar de um bichinho verde fluorescente criado com uma proteína que confere essa coloração peculiar? Por falar nisso, o GFP Bunny envolve não apenas a Alba, mas também “o diálogo público gerado pelo projeto e a integração social da coelha”. Segundo o artista:

“O trabalho foi proposto como uma nova forma de arte decorrente do uso de engenharia genética na transferência de genes naturais ou sintéticos para um organismo com o objetivo de criar seres vivos únicos. 

Um trabalho que requer o máximo de cuidado, consciência do grau de complexidade das questões que ele provoca e, acima de tudo, de compromisso para respeitar, cuidar e amar a vida criada”.

Fun fact: essa coelhinha verde ficou super popular e já apareceu em séries televisivas, como Simpsons e Big Bang Theory. Além disso, ela passou pelas obras de vários escritores, a exemplo de Michael Crichton e Margaret Atwood. 

3. Aromapoetry | Poemas escritos com aromas

Aromapoetry propicia uma experiência aromática, em que o leitor atribui seus próprios significados aos 12 poemas. Neste livro que emprega a nanotecnologia, há uma camada fina de vidro poroso em cada página para “prender” as fragrâncias e liberá-las lentamente.

Eduardo Kac Aromapoetry

Fonte: EKac | Aromapoetry

Demonstração do livro com nanotecnologia Aromapoetry

4. Holo/Olho | Holopoema

O holopoema Holo/Olho combina anagramas para criar sua própria sintaxe, à medida que “olho” se espelha em “holo”. Aliás, “o arranjo das letras no espaço foi holografado 5 vezes” e, depois, cada holograma se fragmenta para então se reagrupar na nova unidade visual. Isto é, a projeção mostra que “a informação do todo está contida na parte e vice-versa”.

5. ERRATUM #3 | NFT de Pintura Digital 

A Pintura Digital ERRATUM #3 foi criada em 1994, em edição única, feita nas seguintes dimensões: 918 px x 612 px. Essa Cripto Arte está registrada como Token Não-Fungível, assim como outras obras: o GIF Self-Portrait II, o Vídeo Digital Insect.Desperto e afins.

Eduardo Kac ERRATUM #3

Fonte: Leme NFT

6. Robeet | Biopoesia

A Arte dos Novos Meios ganhou espaço nos anos 1980, revelando suas próprias linguagens poéticas. De acordo com Kac, “em um mundo de clones, quimeras e criaturas transgênicas, é hora de considerar novas direções para a poesia ‘in vivo’.” 

Ele propõe “o uso da biotecnologia e dos organismos vivos na Poesia como um novo reino de criação verbal, paraverbal e não verbal”. Por exemplo, a abelha robótica Robeet permite que alguém “escreva um texto-dança performativo”, sem uma referência no mundo físico.

Eduardo Kac Robeet

Fonte: EKac | Biopoetry

7. Cápsula do Tempo | Evento-Instalação | Telepresença

Em 1997, a obra-experiência Time Capsule conectou o corpo de Kac, que estava no Brasil, ao banco de dados nos Estados Unidos. Na intervenção transmitida em tempo real, o chip implantado na pele fez com que a cápsula do tempo e a “memória” se projetem no futuro.

8. História Natural do Enigma

Para desvendar a História Natural do Enigma, Kac misturou a flor petúnia com seu próprio material genético. Na criação da Edunia, um híbrido do artista com a planta, pode-se observar as veias vermelhas nessa flor transgênica, representando os genes do seu criador. 

Eduardo Kac Edunia

Fonte: EKac | Natural History of the Enigma

9. Inner Telescope

Em 2017, Kac desenvolveu o Inner Telescope direto no espaço sideral, em parceria com o astronauta Thomas Pesquet. Por incrível que pareça, a obra foi criada a bordo da Estação Espacial Internacional (ISS), tendo sido concebida para o ambiente com gravidade zero.

10. Carta | Poesia Visual com Serigrafia

Para finalizar a lista, temos essa Poesia Visual Letter, feita a lápis e finalizada com a Serigrafia em relevo. Neste cone diagonal, as palavras convergem e/ou divergem da espiral que fica no canto inferior, evocando assim uma tipo de “explosão no centro de uma galáxia”. 

Eduardo Kac Letter

Fonte: Alternate Projects | Letter

Mais 5 destaques para ir além das obras e da biografia do Eduardo Kac

Depois de conferir a trajetória e os trabalhos famosos de Kac, venha conferir mais alguns insights sobre o artista:

1. Prêmios recebidos pelo Eduardo Kac

  • Prêmio de Aquisição | Salão Nacional de Artes Plásticas | Brasil | 1985
  • Shearwater Foundation Holography Award | Estados Unidos | 1995
  • Leonardo Award for Excellence | International Society for the Arts, Sciences and Technology | Estados Unidos | 1998
  • Prêmio do júri internacional | Bienal do InterCommunication Center | Japão | 1999
  • Langlois Foundation | Canadá | 2000
  • Greenwall Foundation | Estados Unidos | 2001
  • Creative Capital Foundation | Estados Unidos | 2002
  • Golden Nica Award | Prix Ars Electronica | Áustria | 2009

2. Principais vídeos e entrevistas do Eduardo Kac

3. Publicações e livros do Eduardo Kac

  • Eduardo Kac: Télescope intérieur / Inner Telescope | 2021
  • Apoapsis | 2021
  • ats@50 | 2019
  • Scripta Volant | 2018
  • Téléscope intérieur – Une œuvre spatiale d’Eduardo Kac [Inner Telescope – A spatial artwork by Eduardo Kac] | 2018
  • Eduardo Kac: Telepresence, Bio Art & Poetry [1980-2010] | 2017
  • Télescope intérieur [Inner Telescope] | 2017
  • ISS#71904 | 2017
  • 50 | 2017
  • TC20 | 2017
  • Space Poetry | 2016
  • Biopoetry | 2016
  • Pornéia | 2016
  • Outrossim [Otherwise] | 2013
  • Life, Light & Language / La vie, la lumière & le langage | 2011
  • Aromapoetry | 2011
  • Eduardo Kac : El creador de seres imposibles [Eduardo Kac: Creator of Impossible Beings] | 2010
  • Natural History of the Enigma & Other Works [Histoire Naturelle de l’énigme & autres travaux] | 2009
  • Biopoesia | 2008
  • Edunia Seed Pack Studies (from The Natural History of the Enigma series) | 2008
  • Eduardo Kac: Holopoèmes, Poèmes minitel, poèmes numériques, Biopoèmes | 2008
  • Life Extreme | 2007
  • Eduardo Kac | 2007
  • Signs of Life: Bio Art and Beyond | 2007
  • Media Poetry: an International Anthology (Second Edition) | 2007
  • Hodibis Potax | 2007
  • L’art à l’ère des biotechnologies : La question du vivant dans l’art transgénique d’Eduardo Kac [Art in the Biotech Age : The Question of the Living in the Transgenic Art of Eduardo Kac] | 2007
  • Lagoglyphs: The Bunny Variations | 2007
  • Eduardo Kac: Obras Vivas y en Red, Fotografías y Otros Trabajos [Eduardo Kac: Online and Living Works, Photographs and other pieces] | 2006
  • Eduardo Kac : Move 36 | 2005
  • Telepresença e Bioarte – Humanos, Coelhos & Robôs em Rede | 2005
  • Luz & Letra. Ensaios de arte, literatura e comunicação [Light & Letter. Essays in art, literature and communication] | 2004
  • Elle | 2004
  • The Eighth Day: The Transgenic Art of Eduardo Kac | 2003
  • It’s not easy being green! | 2003
  • Eduardo Kac: Telepresence, Biotelematics, Transgenic Art | 2000
  • Eduardo Kac: Teleporting an Unknown State | 1998
  • New Media Poetry: Poetic Innovation and New Technologies | 1996
  • Letter | 1996
  • HOLOPOETRY. Essays, manifestoes, critical and theoretical writings | 1995
  • Escracho | 1983

4. Frases famosas do Eduardo Kac

  • “A arte do futuro será viva, como você e eu.”
  • “E se pudéssemos realizar o sonho supremo da arte e realmente criar vida biológica?”
  • “A Bioarte não é a arte “inspirada” na biologia e sim arte que literalmente cria ou manipula a vida. Ou seja, pinturas que representam moléculas não são Bioarte. A Bioarte não é representacional; a Bioarte é presentacional, presencial.” 
  • “A verdadeira arte sempre redefine seus parâmetros, coloca em xeque seus estatutos, ultrapassa barreiras historicizadas e códigos assimilados.”
  • “E se a Poesia pudesse ser criada com uma sintaxe de eventos disruptivos, explorando a linguagem escrita além da linearidade e rigidez que caracterizam sua forma impressa?”
  • “Não me vejo como um artista pesquisador, mas como um artista contemporâneo. Da mesma forma que um pintor precisa comprar tinta para pintar, eu acesso o laboratório de engenharia genética para criar.”
  • “Em um mundo de clones, quimeras e criaturas transgênicas, é hora de considerar novas direções para a poesia ‘in vivo’.”
  • “Um dos mais intrigantes e fascinantes estilos de trabalho holográfico se dá em torno da modulação de estruturas luminosas em que a própria luz é controlada como uma nova mídia visual. Na holografia, a arte da luz em movimento desprovida de referencialidade adquire caráter próprio.”
  • “E se a arte pudesse se tornar uma experiência dialógica na qual indivíduos remotos se interligassem em todo o mundo através da rede que projetaria sua presença à distância através de telerrobôs?”

Artcetera - perfil Instagram

5. Redes sociais do Eduardo Kac

Embora Kac trabalhe com Arte Digital, aparentemente ele não é adepto das redes sociais famosas. Por isso, informações adicionais sobre ele podem ser obtidas no site EKac, assim como nas galerias que representam o artista: Charlot, Leme NFT, DAM Projects e mais.

Adicionalmente, a dica é buscar a hashtag #eduardokac no Instagram, bem como os vídeos de vários canais do Vimeo. Assim, você pode descobrir mais curiosidades sobre o carioca, o que também inclui as críticas ao trabalho dele, devido à abordagem de temas polêmicos.

Enfim, esperamos que você tenha gostado de conhecer a biografia e a carreira do Eduardo Kac. E, para continuar sua jornada de descobertas aqui na Artcetera, aproveite para conferir mais artistas do Brasil, como Jota Mombaça, Ueslei Marcelino e Castiel Vitorino Brasileiro.

Até mais!

Salvar