Desvende a história da Pintura: como começou? Quais tipos e técnicas? Maiores pintores e pintoras: Van Gogh, Frida, Dalí, Tarsila e + [LISTA]

Impressionismo, Barroco, Expressionismo, Natureza Morta, Cubismo, Rococó, Surrealismo e segue o fio. Qual desses é o seu estilo preferido? Talvez pelo nome seja um pouco difícil identificar, certo? E é justamente por isso que faremos um passeio pela história da Pintura.

Aqui no blog, já falamos das diversas linguagens de Artes Visuais, inclusive citando grandes pintores e pintoras. Daqui em diante, falaremos sobre as pinceladas marcantes de uma das expressões artísticas mais famosas, visto que a Pintura é um ícone das Belas Artes. 🎨  

O que você vai conferir neste post:

10 curiosidades para fazer uma imersão na história da Pintura

Curiosidades da Pintura? Temos! A seguir, listamos 10 pontos-chave para contextualizar a linguagem das pinceladas como uma expressão da humanidade. Vamos lá?

1. O que significa Pintura?

A Pintura é uma linguagem artística que faz parte do rol de Artes Visuais, visto que apela para o sentido da visão. Nela, os artistas aplicam pigmentos em superfícies para revelar suas mensagens e concepções estéticas e poéticas, em determinados períodos históricos. 

2. Qual o conceito da Pintura?

O conceito de Pintura também está ligado ao das Artes Plásticas, com a expressão por meio das pinceladas e cores. Basicamente, aplicam-se pigmentos em superfícies para transmitir mensagens com foco no apelo visual, lançando mão de tons, texturas, matizes…

A propósito, a cor é um elemento fundamental da Pintura, uma vez que “guia” o olhar do espectador. Por meio dos pigmentos usados, é possível transmitir sensações de frio ou calor, demonstrar a noção de profundidade e até mesmo criar os efeitos de ilusão de ótica. 

Por falar nisso, dê uma olhada no vídeo que aborda um movimento todo trabalhado na cor, o Fauvismo de Matisse:

3. O que pode ser considerado Pintura?

O ato de pintar, em si, não necessariamente é considerado como uma expressão de Arte Visual. Por exemplo, cobrir carros e paredes com tintas definitivamente não se aproxima da linguagem artística e cultural da Pintura, que inclusive integra o Manifesto das Sete Artes.

Em outras palavras, é preciso levar em conta a concepção poética e estética que se traduz na Pintura. Para entender melhor essa dinâmica, continue a leitura para conferir as telas pintadas por artistas talentosos, como Leonardo Da Vinci, Frida Kahlo, Salvador Dalí…

Além disso, é vital ter em mente que a Pintura Digital trouxe à tona novas possibilidades de experimentação. Ainda que não seja necessário usar os pigmentos líquidos, pastosos ou mesmo em pó, as inovações tecnológicas viabilizam a colorização artística das superfícies.

Artcetera - perfil Spotify

4. Quem é considerado o fundador da Pintura?

Antes de mais nada, vale lembrar que a Arte Rupestre denota os primeiros registros dessa expressão humana. Logo, é praticamente impossível precisar quem criou a Pintura em se tratando de uma figura única, mas pode-se considerar o homem primitivo de modo geral. 

5. Onde nasceu a Pintura? E como surgiu?

A Pintura é uma das representações artísticas que datam da Pré-História, do Paleolítico ao Neolítico. Aliás, o registro mais antigo da Arte Rupestre foi a figura de um javali pintado na parede de uma caverna no local em que hoje é a Indonésia, há cerca de 45.500 anos. 😮

Com isso em mente, listamos os marcos da história da Pintura, que permeia as culturas humanas ao longo dos séculos. E, mais adiante, falaremos sobre os movimentos artísticos que lançaram tendências e têm influenciado o nosso estilo de vida, geração após geração. 

Marcos da história da Pintura na Pré-história e Antiguidade

  • A Pintura Rupestre nas cavernas foi um dos ícones da Arte Pré-Histórica, usando pigmentos como o ocre
  • No Egito Antigo, entre 3100 a.C. a 30 a.C., as pinturas eram feitas no interior das tumbas e nas construções arquitetônicas
  • Desde 2.600 a.C., os maias criavam murais e, também, adornavam templos e palácios, bem como pintavam as peças de Cerâmica
  • Há registros de pinturas primitivas no Japão desde o Paleolítico, antes do período Jōmon, a primeira cultura do arquipélago
  • Na China, a Pintura se popularizou entre 770 e 221 a.C. com foco em elementos naturais, retratando paisagens e animais
  • Os afrescos pintados por etruscos vêm do período entre os séculos VIII e II a.C., uma técnica então desconhecida na Grécia
  • Por volta de 1 500 a.C. na Índia, no período Gupta, os excertos sagrados Śastras tinham mensagens divinas para os pintores
  • As civilizações do mar Egeu (cicládica, minoica e micênica) pintavam Murais e afrescos em 3000 a.C., bem antes dos gregos
  • Entre os séculos XIV a IX a.C., a Grécia e a Roma Antiga cultivavam o Muralismo, inspirando os afrescos Renascentistas
  • Infelizmente, há poucos registros da Pintura Mural no período Helenístico, entre os século IV e I a.C., pois não resistiram ao tempo
  • Na erupção do vulcão Vesúvio, em 79 d.C., certas pinturas murais decorativas foram preservadas sob a lava endurecida e as cinzas
  • Entre os persas, a Pintura Sassânida floresceu do século III ao ano 640, inclusive influenciando o Império Bizantino que viria adiante
  • A representação pictórica do Império Bizantino modificou a técnica italiana do Buon Fresco, até mesmo substituindo os mosaicos
  • Com famosas iluminuras, a Arte Copta se desenvolveu nos séculos IV a VII entre os povos cristianizados no Egito

Marcos da história da Pintura na Idade Média, Renascimento e Barroco

  • Na Idade Média, várias civilizações criaram iluminuras, como: celta, merovíngia, otoniana, moçárabe, visigótica, carolíngia e românica
  • Nas escolas sienesa e florentina do período Gótico, as pinturas eram principalmente: afrescos, vitrais, painéis e iluminuras de manuscritos
  • Os mestres do Renascimento criaram afrescos memoráveis nos séculos XIV a XVI, como o Teto da Capela Sistina de Michelangelo
  • O Renascimento teve uma série de expressões regionais: Italiano, Flamengo, Alemão, Francês, Espanhol, Português e Britânico
  • Entre a Alta Renascença e o Barroco, o estilo que predominou na Itália foi o Maneirismo, abrindo mão da harmonia renascentista
  • Já no Barroco, a unidade geométrica e o equilíbrio renascentista foram substituídos, voltando o foco para a realidade e intensidade dramática

Marcos da história da Pintura Moderna e Contemporânea

  • O Rococó do século XVIII foi adotado na decoração monumental das igrejas e palácios, glorificando a fé e o poder civil, respectivamente
  • Em contraponto à estética do Barroco e Rococó, o Neoclassicismo retomou os ideais clássicos da Antiguidade e destacou a temática política
  • Embora não tenha um estilo unificado em temas e objetividade, a Pintura Romântica ressaltou a expressão dos sentimentos dos artistas 
  • No Realismo e Naturalismo, os ideais idealizados foram deixados de lado para então revelar o cotidiano de maneira “nua e crua” 
  • Na Belle Époque do Impressionismo, a luz natural e a sensação de movimento tornaram-se elementos centrais dos quadros
  • Com temáticas oníricas, místicas e esotéricas, a Pintura do Simbolismo usava o “caminho da cor e da linha para expressar as ideias” 
  • Após a última exposição impressionista, em 1886, veio à tona o Pós-Impressionismo, com ícones como Van Gogh e Gauguin
  • Com novos materiais e o “design puro”, a Pintura da Art Nouveau estava alinhada às Artes Gráficas, inclusive em revistas e propagandas
  • Com a Revolução Industrial, os pigmentos disponíveis se ampliaram em larga escala, inclusive o azul ultramarino, um lápis-lazúli sintético
  • Diversos movimentos surgiram na contemporaneidade, como: Fauvismo, Cubismo, Surrealismo, Expressionismo, Pop Art e Hiper-Realismo

Disclaimer: cada um desses movimentos e períodos históricos merece seu próprio texto, né? Futuramente, teremos mais posts aqui no blog para abordar a estética e o contexto sociocultural das vanguardas artísticas que influenciam a humanidade desde a Pré-História. 

6. Como aconteceu a história da Pintura no Brasil?

Antes da Colonização Portuguesa, os povos originários do Brasil já tinham suas formas de expressão. Por exemplo, a Pintura Corporal Indígena é feita com pigmentos extraídos da natureza, como jenipapo e urucum, representando a identidade e a cultura de cada etnia.

Marcos da história da Pintura no Brasil

  • Há registros de Pinturas Rupestres em várias regiões, inclusive no Parque Nacional da Serra da Capivara, no Piauí
  • Antes da Colonização, a Pintura Corporal da Arte Indígena já era uma forma de comunicação das diversas etnias 
  • Após a vinda dos portugueses, em 1500, a produção pictórica passou a ser influenciada por estilos europeus
  • No século XVII, o estilo Barroco experimentou seu apogeu, sobretudo nas pinturas decorativas feitas em igrejas 
  • Apesar da certa distância da Literatura Brasileira na época, a Pintura do Romantismo era focada no nacionalismo
  • Em 1922, aconteceu a icônica Semana de Arte Moderna, que retomou a brasilidade nas pinturas produzidas por nossos artistas
  • Diferentemente das peças expostas em grandes museus, as pinturas populares ganharam espaço, como Naïf e Graffiti
  • A psiquiatra Nise da Silveira estimulou a Pintura entre pessoas institucionalizadas, revelando grandes artistas no Engenho de Dentro
Bônus: o papel terapêutico da arte

Em uma nota paralela, vale a pena conferir o brilhante trabalho da médica Nise da Silveira. No Centro Psiquiátrico conhecido como Engenho de Dentro, ela criou um Ateliê de Pintura e Modelagem para estimular a expressão dos pacientes, com base nas teorias de Carl Jung.

7. Para que serve a Pintura?

Como uma manifestação artística e cultural dos povos, a Pintura é uma forma de expressão e, também, um registro histórico. Nesse sentido, é importante considerar o recorte de tempo e espaço que contextualizam as mensagens trazidas pelas pinceladas de grandes artistas.

Para exemplificar, pense no quadro Guernica, em que Pablo Picasso retrata o sofrimento do povo na Guerra Civil Espanhola. Por sua vez, o Abaporu de Tarsila do Amaral foi um marco do movimento Antropofágico, a fim de “deglutir a cultura estrangeira e adaptá-la ao Brasil”.

Já o quadro O Grito, de Edvard Munch, representa angústia, ansiedade, desespero e afins. De um jeito bem diferente, Van Gogh revela um turbilhão de sensações na Noite Estrelada, na época em que estava internado em uma instituição. Siga conosco para conferir as telas!

8. Quais são os estilos de Pintura?

Seguem os principais gêneros de Pintura e movimentos artísticos que influenciaram pintores e pintoras ao redor do mundo:

  • Abstracionismo
  • Antropofagia
  • Art Déco
  • Art Nouveau
  • Arte Antiga
  • Arte Contemporânea
  • Arte Folclórica
  • Arte Plástica
  • Autorretrato
  • Barroco
  • Biedermeier
  • Body Painting
  • Classicismo
  • Conceitual
  • Construtivismo
  • Cubismo
  • Dadaísmo
  • Expressionismo
  • Expressionismo Abstrato
  • Fauvismo
  • Figuração Livre
  • Figurativismo
  • Flamenga
  • Fotorrealismo
  • Futurismo
  • Gestualismo (Action Painting)
  • Gótico
  • Graffiti
  • Grotesco
  • Helenismo
  • Hiper-Realismo
  • Iconografia
  • Ilustração
  • Impressionismo
  • Informalismo
  • Maneirismo
  • Minimalismo
  • Modernismo
  • Muralismo
  • Naïf
  • Naturalismo
  • Neoclassicismo
  • Neoconcretismo
  • Neofauvismo
  • Neoplasticismo
  • Nova Objetividade
  • Nu Artístico
  • Op Art
  • Orfismo
  • Orientalismo
  • Paisagismo
  • Panorama
  • Pintura de Gênero
  • Pintura Digital
  • Pompier
  • Pontilhismo
  • Pop Art
  • Pós-Impressionismo
  • Pré-Rafaelita
  • Primitiva
  • Popular
  • Raionismo
  • Realismo
  • Renascentismo
  • Retrato
  • Retrato Pictórico
  • Retrô
  • Rococó
  • Românica
  • Romantismo
  • Rupestre
  • Simbolismo
  • Suprematismo
  • Surrealismo
  • Taquismo
  • Vanguarda Russa
  • Veduta

Exemplos de escolas nacionais de Pintura

  • Alemanha
  • Austrália
  • Brasil
  • Canadá
  • China
  • Espanha
  • Estados Unidos
  • França
  • Itália
  • Países Baixos e Flamengos
  • Portugal
  • Reino Unido
  • Rússia

9. Quais os tipos e técnicas de Pintura?

Diante dos gêneros e movimentos artísticos que já mencionamos, veja os exemplos de tipos e técnicas de Pintura:

  • Acrílica
  • Aerografia
  • Afresco
  • Altura no Campo de Visão
  • Anamorfose
  • Aquarela
  • Buon Fresco
  • Cangiante
  • Chiaroscuro
  • Colagem
  • Combine
  • Eletrostática
  • En Plein Air
  • Encáustica
  • Esmalte
  • Frottage
  • Grattage
  • Guache
  • Iluminuras
  • Impasto
  • Intonaco
  • Laca
  • Luminismo
  • Matização
  • Matte painting
  • Metálica
  • Micropintura
  • Mise en Abyme
  • Mural
  • Nigelo
  • Panorâmica
  • Pastel
  • Perspectiva Atmosférica
  • Pinstriping
  • Pintura a Dedo
  • Pintura a Óleo
  • Pintura Corporal
  • Pintura Digital
  • Pintura sobre Painel
  • Pirografia
  • Profundidade
  • Pulverização
  • Rosemåling
  • Sandpainting (Areia Colorida)
  • Sfumato
  • Sobreposição
  • Speed Painting
  • Spray
  • Sumi-ê
  • Têmpera
  • Tenebrismo
  • Thangka
  • Tinta em Pó
  • Transparência 
  • Trompe-l’oeil
  • Unione
  • Velatura
  • Yakusha-e

Bônus: Conservação e Restauro de Pinturas

Já ouviu falar de obras-primas destruídas pelo efeito do tempo, por intempéries ou mesmo pela ação humana? Por exemplo, A Ronda Noturna de Rembrandt foi cortada em 1715 para colocá-la em outro espaço. Felizmente, esse quadro foi restaurado com inteligência artificial

Bem antes da inovação tecnológica, temos profissionais que se dedicam à conservação e restauração artística. Afinal de contas, é essencial preservar essas obras para a posteridade, visto que muitas delas são patrimônios culturais de toda a humanidade.

10. Como surgiram os pigmentos usados na Pintura?

Se você já ouviu falar do “marrom-múmia” sabe que o pigmento, por si só, renderia uma série de posts, não é mesmo? Mais adiante, faremos outros artigos no blog para trazer curiosidades sobre as cores raras, como a encontrado nas múmias egípcias – de verdade!

Hoje, ainda não falaremos do Museu de Harvard que abriga os pigmentos mais raros do mundo. Por outro lado, podemos adiantar que o uso da pigmentação na Pintura vem desde a Arte Rupestre, com pigmentos naturais, tal como o ocre e até mesmo o sangue, sabia?

Séculos depois, surgiram então os pigmentos sintéticos, que, inicialmente, eram muito caros. Contudo, eles se popularizaram após a Revolução Industrial, a exemplo do azul da Prússia. E, como esse assunto tem muita história pra contar, fica para um próximo post, ok?

Artcetera - perfil Instagram

25 destaques entre as pinturas mais famosas da história

Finalmente, chegamos às pinceladas de alguns dos melhores artistas visuais em diversos estilos de Pintura. Confira!

1. Monalisa | Leonardo da Vinci

história da Pintura - Monalisa - Da VinciFonte: Laart

2. Autorretrato com Macaco | Frida Khalo

história da Pintura - autorretrato com macaco - Frida

Fonte: Google Arts and Culture

3. Guernica | Pablo Picasso

história da Pintura - Guernica - PicassoFonte: Laart

4. O Nascimento de Vênus | Sandro Botticelli

história da Pintura - Vênus - BotticelliFonte: Terra

5. A Persistência da Memória | Salvador Dalí

história da Pintura - memória - DaliFonte: Laart

6. Abaporu | Tarsila do Amaral

história da Pintura - Abaporu - TarsilaFonte: Laart

7. A Noite Estrelada | Vincent Van Gogh

história da Pintura - Noite Estrelada - van Gogh

Fonte: Laart

8. O Beijo | Gustav Klimt

história da Pintura - beijo - Klimt

Fonte: IstoÉ

9. Moça com o Brinco de Pérola | Johannes Vermeer

história da Pintura - Brinco - VermeerFonte: Terra

10. Number 5 | Jackson Pollock

história da Pintura - Number 5 - PollockFonte: Jackson-Pollock.Org

11. A Criação de Adão | Michelangelo

história da Pintura - Adão - MichelangeloFonte: Laart

12. O Grito | Edvard Munch

história da Pintura - Grito - MunchFonte: Laart

13. Ponte Sobre Uma Lagoa de Lírios d’Água | Claude Monet

história da Pintura - ponte - MonetFonte: ArtOut

14. A Aula de Dança | Edgar Degas

história da Pintura - Dança - DegasFonte: História das Artes

15. Untitled | Jean-Michel Basquiat

história da Pintura - untitled - BasquiatFonte: The Guardian

16. A Traição das Imagens | René Magritte

história da Pintura - Traição - MagritteFonte: História das Artes

17. Nighthawks | Edward Hopper

história da Pintura - Nighthawks - Hopper

Fonte: Arte e Artistas

18. O Baile no Moulin de la Galette | Pierre-Auguste Renoir

história da Pintura - Baile - RenoirFonte: Laart

19. Medusa | Caravaggio

história da Pintura - Medusa - CaravaggioFonte: História das Artes

20. La Danse | Henri Matisse

história da Pintura - Danse - MatisseFonte: Arte e Artistas

21. Mestiço | Candido Portinari

história da Pintura - Mestiço - PortinariFonte: Laart

22. Composição VIII | Wassily Kandinsky

história da Pintura - Composições - KandinskyFonte: Aventuras na História

23. Três de Maio de 1808 em Madrid | Francisco de Goya

história da Pintura - Três de Maio - GoyaFonte: Arte e Artistas

24. A Grande Onda de Kanagawa | Katsushika Hokusai

história da Pintura - onda - KanagawaFonte: BBC

25. A Cesta de Maçãs | Paul Cézanne

história da Pintura - Cesta - CezanneFonte: Wikiart

Mais 225 destaques para conhecer tudo sobre a história da Pintura 

Agora que você já conferiu as curiosidades e obras que marcaram a história da Pintura, veja quem fez tudo acontecer. Logo mais, descubra quem são os 200 ícones dessa linguagem artística, em ordem alfabética, além de 25 dicas de livros para ampliar os seus horizontes.   

100 maiores pintores de todos os tempos

  1. Albery Seixas da Cunha
  2. Aldemir Martins
  3. Aldo Bonadei
  4. Alfredo Volpi
  5. Alípio Dutra
  6. Almeida Júnior
  7. Almir Mavignier
  8. Anatol Wladyslaw
  9. Andy Warhol
  10. Aníbal Mattos
  11. Anselm Kiefer
  12. António Manuel
  13. Antônio Martins da Silveira
  14. Arcangelo Ianelli
  15. Arnaldo Mecozzi
  16. Arnaud Pallière
  17. Artur Timóteo da Costa
  18. Augustin de Lassus
  19. Augusto Müller
  20. Augusto Rodrigues Duarte
  21. Banksy
  22. Caetano da Costa Coelho
  23. Cândido Portinari
  24. Caravaggio
  25. Cícero Dias
  26. Claude Monet
  27. Daniel Senise
  28. David Hockney
  29. Di Cavalcanti
  30. Diego Rivera
  31. Diego Velázquez
  32. Edgar Degas
  33. Édouard Manet
  34. Edvard Munch
  35. Edward Hopper
  36. Elpídio Malaquias
  37. Eugène Delacroix
  38. Fernando Antonio Bastos Coelho
  39. Francesco Manna
  40. Francisco de Goya
  41. Francisco Rebolo
  42. Georg Baselitz
  43. Georges Seurat
  44. Gérard Garouste
  45. Gerhard Richter
  46. Giotto di Bondone
  47. Grant Wood
  48. Gustav Klimt
  49. Gustave Courbet
  50. Heitor dos Prazeres
  51. Hélio Oiticica
  52. Henri de Toulouse-Lautrec
  53. Henri Matisse
  54. Iberê Camargo
  55. Ismael Nery
  56. James McNeill Whistler
  57. Jan van Eyck
  58. Jasper Johns
  59. Jean-Michel Basquiat
  60. Joan Miró
  61. Johannes Vermeer
  62. John Graz
  63. John Lurie
  64. Katsushika Hokusai
  65. Lasar Segall
  66. Leonardo da Vinci
  67. Luiz Sacilotto
  68. Manfred Mohr
  69. Marc Chagall
  70. Marcel Duchamp
  71. Martial Raysse
  72. Michelangelo
  73. Miquel Barceló
  74. Pablo Picasso
  75. Paul Cadden
  76. Paul Cézanne
  77. Pei-Ming Yan
  78. Peter Paul Rubens
  79. Philippe Garrel
  80. Pierre Auguste Renoir
  81. Pierre Soulages
  82. Piet Mondrian
  83. Rafael Sanzio
  84. Rembrandt
  85. René Magritte
  86. Ricardo Augusto
  87. Richard Edmund Prince
  88. Robert Rauschenberg
  89. Roy Lichtenstein
  90. Salvador Dalí
  91. Sandro Botticelli 
  92. Siron Franco
  93. Vicente do Rego Monteiro
  94. Victor Meirelles
  95. Vik Muniz
  96. Vincent Van Gogh
  97. Wassily Kandinsky
  98. Willem de Kooning
  99. Yue Minjun
  100. Ziraldo

100 maiores pintoras de todos os tempos

  1. Abigail de Andrade
  2. Adélaïde Labille-Guiard
  3. Adelina Gomes
  4. Adriana Varejão
  5. Agnes Martin
  6. Akiane Kramarik
  7. Alma Thomas
  8. Amy Sherald
  9. Angelika Kauffmann
  10. Anita Malfatti
  11. Anna Boch
  12. Anna Claypoole Peale
  13. Artemisia Gentileschi
  14. Beatriz Milhazes
  15. Berthe Morisot
  16. Betye Saar
  17. Bridget Riley
  18. Cai Jin
  19. Castiel Vitorino Brasileiro
  20. Caterina van Hemessen
  21. Cecily Brown
  22. Cindy Sherman
  23. Clara Peeters
  24. Claude Cahun
  25. Cybèle Varela
  26. Del Kathryn Barton
  27. Djanira da Motta e Silva
  28. Elaine Sturtevant
  29. Élisabeth-Louise Vigée-Le Brun
  30. Elisabetta Sirani
  31. Elizabeth Peyton
  32. Elizabeth Thompson
  33. Ellen Gallagher
  34. Etel Adnan
  35. Fede Galizia
  36. Florine Stettheimer
  37. Frida Khalo
  38. Georgia O’Keeffe
  39. Georgina de Albuquerque
  40. Ghada Amer
  41. Guan Daosheng
  42. Harriet Powers
  43. Helen Frankenthaler
  44. Hilma af Klint
  45. Irmã Plautilla Nelli
  46. Jenny Holzer
  47. Jenny Saville
  48. Joan Mitchell
  49. Judith Leyster
  50. Judy Chicago
  51. Julie Mehretu
  52. Julie Mehretu
  53. June Leaf
  54. Kara Walker
  55. Kristy Chu
  56. Laura Owens
  57. Lavinia Fontana
  58. Lee Krasner
  59. Leonora Carrington
  60. Lilla Cabot Perry
  61. Louise Bourgeois
  62. Lygia Clark
  63. Lygia Pape
  64. Lyubov Popova
  65. Margaret Macdonald Mackintosh
  66. Maria Auxiliadora
  67. Maria Sibylla Merian
  68. Mariana Palma
  69. Marianne North
  70. Marie Bracquemond
  71. Marie-Gabrielle Capet
  72. Marilyn Minter
  73. Marina Rheingantz
  74. Marlene Dumas
  75. Mary Beale
  76. Mary Cassatt
  77. Mickalene Thomas
  78. Mira Schendel
  79. Natalia Goncharova
  80. Paula Modersohn-Becker
  81. Paula Rego
  82. Rachel Ruysch
  83. Remedios Varo
  84. Rosa Bonheur
  85. Rosalba Carriera
  86. Rosina Becker do Valle
  87. Rosson Crow
  88. Shirin Neshat
  89. Sofonisba Anguissola
  90. Sonia Delaunay
  91. Suzanne Valadon
  92. Tamara de Lempicka
  93. Tarsila do Amaral
  94. Thelma Johnson Streat
  95. Tina Blau
  96. Tomie Ohtake
  97. Tracey Emin
  98. Vanessa Bell
  99. Vija Celmins
  100. Yayoi Kusama

25 livros sobre Pintura

  1. Art: The Definitive Visual Guide | Andrew Graham-Dixon
  2. A Pintura – Volume 09: O Desenho e a Cor | Jacqueline Lichtenstein
  3. French Impressionists | Herman J. Wechsler
  4. Mulatas e Negras Pintadas por Brancas: Questões de Etnia e Gênero Presentes na Pintura Modernista Brasileira | Marcos Hill
  5. Salvador Dali: 1904-1989 | Gilles Neret
  6. Frida Kahlo: uma Biografia | María Hesse
  7. Leonardo – The Complete Paintings 1452-1519 | Frank Zöllner
  8. A Educação pela Pintura | Paulo Pasta
  9. Henri Matisse: 1869-1954 Master of Colour | Volkmar Essers
  10. Trattato Della Pittura | Leonardo Da Vinci, Guglielmo Manzi e Giovanni Gherardo De Rossi
  11. Kandinsky Compositions | Wassily Kandinsky, Magdalena Dabrowski e Richard E. Oldenburg
  12. O Prazer da Pintura e Outros Ensaios | William Hazlitt
  13. Conceitos Fundamentais da História da Arte | Heinrich Wölfflin
  14. BR 80: Pintura Brasil Década 80 | Ernest Robert de Carvalho Mange
  15. Pinturas Rupestres do Brasil: uma Pequena Contribuição | Michel Justamand e  Karel Langermans
  16. Monet e a Pintura das Ninfeias: A História do Projeto Mais Audacioso do Impressionismo | Ross King
  17. Surrealism, Art, and Modern Science: Relativity, Quantum Mechanics, Epistemology | Senior Lecturer in European Modernism Gavin Parkinson
  18. Fauvismo – Coleção Folha O mundo da Arte | Nathalia Brodskaïa
  19. A Arte Naïf No Brasil | Jaques Ardies
  20. Michelangelo – Uma Vida Épica | Martin Gayford
  21. Florence: The Paintings & Frescoes, 1250-1743 | Ross King e Anja Grebe
  22. Renaissance Paintings (Art of Century) | Victoria Charles
  23. Art That Changed the World: Transformative Art Movements and the Paintings That Inspired Them | DK
  24. Fuentes y Modelos de la Pintura Barroca Madrileña | Benito Navarrete Prieto, Teresa Zapata Fernández de la Hoz e Antonio Martinez Ripoll
  25. Arte dos Jesuítas na Ibero-América: Arquitetura – Escultura – Pintura | Percival Tirapeli

E aí, gostou de conhecer as nuances que marcaram a incrível história da Pintura no Brasil e no mundo? Então, aproveite para conferir outras curiosidades sobre o universo das Artes Visuais aqui no blog Artcetera. Até mais!

Salvar