Nesta lista especial de 45 livros de games, conheça a história dos consoles e descubra quais jogos foram inspirados na literatura

Você sabia que muitos jogos foram inspirados em livros? E vice-versa? Foi pensando nisso que produzimos o guia definitivo dos 45 melhores livros de games disponíveis para ler em 2022.

Além de reunir histórias que se conectam com grandes franquias, também selecionamos obras que explicam a origem dos consoles e refletem sobre temas atuais, como violência e comportamento.

Ficou curioso? Então vem com a gente 👇

Melhores livros de games do mundo de todos os tempos

  • 1001 videogames para jogar antes de morrer | Tony Mott
  • Assassin’s Creed – Renascença | Anton Gill
  • BioShock – Rapture | John Shirley
  • Diablo III – A ordem | Nate Kenyon
  • Resident Evil 1 – A conspiração Umbrella | S. D. Perry
  • StarCraft – Evolução | Timothy Zahn
  • The Witcher – A espada do destino | Andrzej Sapkowski
  • Tomb Raider – Os dez mil imortais | D. Abnett e N. Vincent
  • Uncharted – O quarto labirinto | Christopher Golden
  • World of Warcraft – Crônica Vol. 1 | M. Burns, R. Brooks e C. Metzen

1001 videogames para jogar antes de morrer

O título desta obra é autoexplicativa. Ela apresenta, com riqueza de detalhes, 1001 games para jogar antes de morrermos. O escritor Tony Mott separa os capítulos por décadas, traz um índice em ordem alfabética e pequenos resumos de cada jogo. A lista conta com clássicos do passado, como Super Mario, Zelda e Donkey Kong, além de franquias modernas, como GTA, God of War e Halo.

Assassin’s Creed – Renascença

livros de jogos

A saga Assassin’s Creed ficou tão famosa nos consoles que rapidamente ganhou adaptações literárias. Renascença é a primeira obra. Ela se passa no período do Renascimento e tem como protagonista o italiano Ezio Auditore. Com o apoio de figuras históricas como Nicolau Maquiavel e Leonardo da Vinci, o jovem se torna um assassino letal para combater a tirania política e recuperar a honra de sua família. Definitivamente um dos melhores livros de games da atualidade 

BioShock – Rapture

O livro de BioShock, escrito por John Shirley, é de extrema importância para quem jogou a franquia e quer entender as origens da cidade submersa de Rapture. Por que ela foi criada? O que motivou as pessoas a irem para lá? Quais fatores levaram essa sociedade utópica ao declínio? Tudo isso é respondido em deliciosas 408 páginas. Você nem vai ver o tempo passar. Te garantimos!

Diablo III – A ordem 

É uma pena que os livros de Diablo tenham começado a ser escritos apenas a partir do terceiro game. Portanto, a leitura pode ser um pouco complicada para aqueles que não jogaram nada da série. Tirando isso, o enredo de A Ordem, a primeira obra de Nate Kenyon, é bem interessante. A narrativa rola de forma fluida, os demônios e locais são descritos com muito capricho e o personagem principal, Deckard Cain, está bem distante daquilo que conhecemos como um herói tradicional.

Resident Evil 1 – A conspiração Umbrella

Conspiração Umbrella adapta (e complementa) a história de Resident Evil 1, aquela mesma, da mansão, que jogamos no PlayStation 1. Só isso já é o suficiente para considerarmos essa obra um dos melhores livros de games do mundo de todos os tempos. Na trama, uma equipe de operações especiais é enviada para investigar casos de canibalismo que ocorreram em Raccoon City. Lá, o grupo descobre que uma empresa farmacêutica desenvolveu armas biológicas e, consequentemente… zumbis!

StarCraft – Evolução

StarCraft, franquia de sucesso absoluto na Ásia, possui dezenas de livros escritos. Infelizmente, apenas alguns foram traduzidos no Brasil. Este é o caso de Evolução. Na obra, três raças intergalácticas (protoss, zergs e terranos) firmaram um acordo de paz. Os conflitos, entretanto, inevitavelmente voltam à tona, quando um planeta, aparentemente carbonizado, devastado e inabitado, começa a esconder grandes segredos.

The Witcher – A espada do destino

livros de games

Eis aqui um caso de jogo inspirado em livro. Se tratando de The Witcher, as obras de Andrzej Sapkowski foram criadas muito antes dos games desenvolvidos pelo estúdio CD Projekt. A Espada do Destino foi o primeiro volume deste fantástico universo. Tratam-se de vários contos que revelam as origens do bruxo Geralt e outros personagens importantes da saga. Foram esses mesmos contos que serviram de inspiração para a série da Netflix. Fica aqui outra recomendação para incrementar sua experiência.

Tomb Raider – Os dez mil imortais 

A franquia de videogame Tomb Raider foi retratada de forma totalmente diferente no livro Os Dez Mil Mortais. Em vez de cavernas, florestas e ruínas, Lara Croft terá que resolver um mistério no coração de Londres, longe de qualquer tipo de tumba. É que sua amiga Sam foi possuída por Himiko, um espírito maligno de uma rainha que aparece no reboot do jogo em 2013. As aventuras, no entanto, não deixam de ser emocionantes. Nossa protagonista passará por maus bocados antes de resolver a situação.

Uncharted – O quarto labirinto

Quem leu vai concordar conosco: Uncharted – O Quarto Labirinto é um dos melhores livros de games da atualidade. Trazer Nathan Drake, um personagem tão carismático do mundo dos jogos para a literatura, foi uma tacada de mestre. Nesta nova aventura, um grande amigo de Sully, mentor do protagonista, foi assassinado misteriosamente. A dupla, portanto, unirá forças para descobrir o que aconteceu. Eles investigarão vestígios de três grandes civilizações antigas: Grécia, Egito e China.

World of Warcraft – Crônica Vol. 1

World of Warcraft – Crônica Vol. 1 não é um romance, conto ou algo do tipo. A obra tá mais para uma espécie de compêndio. Nas ricas páginas deste livro, que, inclusive, contam com ilustrações belíssimas, mergulhamos no universo do game. Aprendemos a história de Azeroth, conhecemos as origens de vários personagens e entendemos como rolaram alguns grandes eventos da linha cronológica, como o surgimento da Legião Ardente e a ascensão de Medivh.

Melhores livros de games da atualidade

Abaixo estão mais 35 recomendações que separamos para você. Todos os livros foram traduzidos para a língua portuguesa e podem ser encontrados na Amazon

  • A guerra dos consoles | Blake J. Harris
  • A realidade em jogo | Jane McGonigal
  • Assassin’s Creed – Irmandade | Anton Gill
  • Assassin’s Creed – A cruzada secreta | Anton Gill
  • Assassin’s Creed – Revelações | Anton Gill
  • Assassin’s Creed – Renegado | Anton Gill
  • Assassin’s Creed – Bandeira negra | Anton Gill
  • Assassin’s Creed – Unity | Anton Gill
  • Assasin’s Creed – Submundo | Anton Gill
  • Diablo III – Tempestade de luz | Nate Kenyon
  • Diablo III – Livro de Cain | Nate Kenyon
  • Diablo III – Livro de Tyrael | Nate Kenyon
  • Hitman – A condenação | Raymond Benson
  • Jogador Nº 1 | Ernest Cline
  • Metro 2033 | Dmitry Glukhovsky
  • Resident Evil 2 – O incidente de Caliban Cove | S. D. Perry
  • Resident Evil 3 – A cidade dos mortos | S. D. Perry
  • Resident Evil 4 – Submundo | S. D. Perry
  • Resident Evil 5 – Nêmesis | S. D. Perry
  • Sangue, suor e pixels | Jason Schreier
  • StarCraft – Ponto crítico | Christie Golden
  • The Witcher – O último desejo | Andrzej Sapkowski
  • The Witcher – O sangue dos elfos | Andrzej Sapkowski
  • The Witcher – Tempo do desprezo | Andrzej Sapkowski
  • The Witcher – Batismo de fogo | Andrzej Sapkowski
  • The Witcher – A torre da andorinha | Andrzej Sapkowski
  • The Witcher – A senhora do lago | Andrzej Sapkowski
  • Tomb Raider – Caça às bruxas | G. Simone e N. Selma
  • World of Warcraft – Ruptura | Christie Golden
  • World of Warcraft – Crepúsculo dos aspectos | Christie Golden
  • World of Warcraft – Marés da guerra | Christie Golden
  • World of Warcraft – Alvorada dos aspectos | Richard A. Kanaak
  • World of Warcraft – Sombras da horda | Christie Golden
  • World of Warcraft – Crimes da Guerra | Christie Golden
  • World of Warcraft – Illidan | William King

Melhores livros de games brasileiros de todos os tempos

E não é que existem livros de games escritos por brasileiros? Nosso país não poderia ficar de fora desse universo tão rico, né? Você descobrirá, a seguir, cinco obras interessantíssimas.

  • Almanaque de games | A. Rodrigues, N. Fernandes e V. Bianchu
  • Coleção Gigantes do videogame | Editora Europa
  • Muito além dos videogames | Luiz Miguel Gianeli
  • Imergindo no mundo do videogame | Gustavo Audi
  • Videogame e violência | Khaled Jr. Salah

Almanaque de games

livros de games brasileiros

Almanaque de Games é um livro que nos desperta um baita sentimento de orgulho. Produzido por três brasileiros, a obra não só apresenta os jogos que marcaram gerações, mas também outros assuntos, como o benefício dos videogames para o cérebro, a evolução dos consoles ao longo do tempo e muitas curiosidades.

Coleção Gigantes do videogame

Gigantes do Videogame é uma coleção da Editora Europa. São oito livros que contam a trajetória de quatro grandes empresas do mercado de jogos: Capcom, Sega, Konami e SNK. Os volumes explicam como os estúdios foram importantes para o crescimento do segmento e, claro, contam as histórias de franquias icônicas como Super Mario, Mega Man e Street Fighter.

Muito além dos videogames

O escritor Luiz Miguel Gianeli teve a brilhante ideia de reunir histórias de brasileiros sobre games. Afinal, quem aí não tem uma lembrança relacionada a isso, né? Eu, por exemplo, tatuei a caixa de Crash Bandicoot no braço, pois foi uma franquia que embalou minha infância. Muito Além dos Videogames reúne vários outros relatos como esse. Memórias que marcaram vidas, simbolizaram momentos importantes e que foram significativos de alguma forma.

Imergindo no mundo do videogame

Imergindo no Mundo do Videogame é uma obra de natureza crítica. O livro escrito pelo professor Gustavo Audi, Doutor em Comunicação Social, nos fazer pensar no caráter reflexivo dos jogos. Por que eles prendem tanto a nossa atenção? De que forma nossos sentidos são estimulados? Qual é o papel dos elementos como enredo, narrativa e ambientação nisso tudo? As respostas para essas e mais perguntas estão presentes no livro.

Videogame e violência

Você com certeza já ouviu alguém falando que os jogos deixam as pessoas mais agressivas. Meus pais são exemplos reais. Bom, é justamente esse mito que Salah H. Khaled Jr, doutor em Ciências Criminais, tenta descontruir em sua obra Videogames e Violência. Nada melhor que fechar nossa lista com uma frase importante e muito necessária do professor brasileiro:

A suposta conexão entre games e violência não é mais que um discurso produzido pela imprensa, recepcionado por políticos e grupos de pressão.

Videogame não é só entretenimento. Videogame também é literatura, como pudemos ver nesse artigo. Videogame é cultura! Sempre foi e sempre será ❤️

Leia também:

Salvar