7 curiosidades da história do Axé Music, com os maiores nomes de todos os tempos: Daniela Mercury, Luiz Caldas, Ivete Sangalo, É o Tchan e +

Se você viveu nos anos 1990 (ou gosta das músicas daquela época), vem conhecer a história do Axé. Hoje, temos 7 curiosidades desse ritmo cheio de energia positiva, que embala tanto o Carnaval da Bahia, quanto as Micaretas no Brasil e no mundo. 

Desde o começo, os axezeiros acreditaram que sua música teria o poder de conquistar o público internacional. Mas os críticos não confiaram tanto assim no sucesso do ritmo; e depois “queimaram” as línguas. Afinal, a história do Axé revolucionou o mercado musical. 

Justamente por isso, vamos começar com um documentário que desvenda a origem deste gênero contagiante. Para tal, assista ao trailer do filme “Axé – Canto do Povo de Um Lugar”, que contou com a participação de grandes nomes da música brasileira. 

7 curiosidades sobre a história do Axé Music

Do Samba aos Blocos Afro, do Frevo ao Reggae. Agora, vamos falar da energia positiva que envolve a história do Axé brasileiro. E, se quiser entrar no clima, fique à vontade para ouvir nossa playlist enquanto lê o post!

Artcetera - perfil Spotify

1. O que significa Axé?

Por acaso, você sabe o que é Axé no contexto musical? Em 1987, o crítico Hagamenon Brito usou o termo “Axé Music” de modo bem pejorativo. Na época, o jornalista fez pouco caso daquela “música dançante com aspirações internacionais”. Mas ele não esperava pelo fenômeno que estava por vir, já que o ritmo caiu nas graças do povo e da mídia. 

Contando com a inspiração de vários ritmos afro-brasileiros, o Axé baiano criou seu próprio estilo. E ganhou o mundo com grandes sucessos, além de abrir espaço para novos gêneros que estavam por vir, como o Arrocha.  

2. Onde nasceu o Axé? E como surgiu?

Para saber onde surgiu o Axé, vamos fazer um passeio pelas ladeiras de Salvador, na Bahia. Nos anos 1980, essa música dançante já começou a fervilhar na folia do Carnaval baiano, com influência dos ritmos: Frevo, Reggae, Maracatu, Forró, Samba-reggae e afins.

Mas foi em 1985 que o hit Fricote, de Luiz Caldas, contagiou o país todo. Hoje em dia, ele diz que não escreveria de novo o trecho “nega do cabelo duro” dessa canção. Porém, o fato é que a música faz parte da história do Axé, como uma precursora deste gênero. 

3. Quem é considerado o fundador do Axé?

Enfim, quem colocou o bloco na rua? Por um lado, o “marco zero” do gênero foi a música “Fricote”, de Luiz Caldas. Mas foram outros nomes que literalmente abriram espaço para isso acontecer.

Logo, quando alguém te perguntar “quem criou o Axé”, você pode adicionar mais alguns nomes na resposta:

4. Quais os instrumentos do Axé?

  • Guitarra elétrica
  • Baixo elétrico
  • Percussão (conga, atabaque etc.)
  • Teclado
  • E daí em diante

5. Quais são as características do Axé?

A música dançante, o swing e a cultura de matriz africana são marcas registradas do Axé. Mas não é difícil confundir alguns pontos com Samba-reggae, Pagode, Arrocha e afins. Isso porque o Axé é um estilo formado de muitos outros ritmos.

Falando nisso, vale lembrar que o Axé tem influência de:

  • Frevo
  • Merengue
  • Forró
  • Samba-reggae
  • Maracatu
  • Lambada
  • Ijexá
  • Blocos de Carnaval Afro
  • E assim por diante

Com essa mistura toda, que é a cara do Brasil, o gênero evoluiu e ganhou o mundo com músicas como “Obvious Child”. Em 1991, o Olodum tocou junto com Paul Simon para 750 mil pessoas em Nova Iorque. 

Depois do evento, foi a vez do rei do Pop se encantar pelo swing da música baiana, direto do Pelourinho. Dessa vez, foi Michael Jackson que veio ao Brasil para gravar “They don’t care about us” com o Olodum. 

E o sucesso do Axé não para por aí. Por exemplo, sabia que temos a nossa versão de “We are the world”? Em 1988, o publicitário Nizan Guanaes promoveu uma música nacional para contribuir com as obras sociais da Irmã Dulce. Como era de se esperar, muitos artistas participaram do clipe de “A Bahia canta sua santa”.

6. Qual é a conexão entre Axé e religião?

Nas religiões de matriz africana, como o Candomblé, a palavra “Axé” significa energia, poder e força. No caso, o termo vem do iorubá “àṣẹ” e costuma ser usado como uma benção. Para traçar um paralelo, é como se fosse o “amém” dos católicos, mas considerando as características de cada crença, claro.

Só para lembrar, “Axé Music” foi um nome dado por um crítico, de forma pejorativa. Mas os baianos entraram no clima porque o termo representava a energia positiva do gênero. Por falar nisso, confira um vídeo em que os músicos do É o Tchan contam a origem do Axé.

7. E quais são os maiores nomes do Axé de todos os tempos?

Agora, chegou a hora de “pegar no compasso”. Afinal, vamos aos cantores, músicos, dançarinos, compositores, produtores e bandas que marcaram a história do Axé Music.

Quando o Axé completou seus 30 anos, a revista Claudia listou os grandes nomes desse ritmo brasileiríssimo. E esses são os axezeiros que participaram da festa:

Mas também não podemos nos esquecer de muitos outros artistas que fizeram história, não é mesmo? Então, vamos começar essa longa lista. E, depois, fique à vontade para postar nos comentários, caso você conheça mais algum ícone do Axé, ok?

 - Find & Share on GIPHY

10 músicas para curtir a história do Axé

Por aqui, é Carnaval o ano inteiro. Então, vem conferir 10 músicas que fizeram a história do Axé! E, se você quiser indicar mais alguma canção, poste lá nos comentários pra gente se inspirar em futuros posts!

1. Eva

Sabia que “Eva” é uma canção original do italiano Umberto Tozzi? Com o sucesso do “fim da aventura humana na Terra”, essa música foi regravada em várias línguas. Em Português, a “pequena Eva” foi eternizada por Ivete, Saulo e muitos outros artistas. 

2. Milla

Eu e você na ilha do Sol…” quem nunca cantou (ou ouviu) a famosa “Milla” do cantor Netinho? Seja “na praia, num barco, num farol apagado”, as “mil e uma noites de amor” ainda fazem sucesso nas Micaretas.  

3. Swing da Cor

Em referência à cultura afro-brasileira, Daniela Mercury canta: “Ticurupaco, kioiô… Eu sou Muzenza, larauê”. E esse hit também ganhou uma versão em inglês, chamada Swing all the colors, na batida da Música Eletrônica.

4. Dança do Vampiro

Por acaso, você já se perguntou de onde surgiu a ideia da “Dança do Vampiro”, do Asa de Águia? Dizem por aí que o “eu lírico” da banda já tinha deixado de lado a vida de pecado, desde a canção “Xô Satanás”. Será? 🤔

5. Água Mineral

O refrão “Olha, olha, olha, olha a água mineral” já fez muita gente pular desde o Carnaval de 1997. Vale lembrar que, na época, Carlinhos Brown e Timbalada já tinham projetos sociais no Candyall Guetto Square, a exemplo das reformas nas casas do Candeal. 

6. Liberar Geral

Curtir o Terra Samba não é nada mal”. Então, “é só entrar no clima e liberar geral”. E foi esse “swing pra você e pra mim” que trouxe à tona uma das coreografias mais famosas do Axé Music.    

7. Bola de Sabão

Foi no Babado Novo que a Claudia Leitte começou a brilhar. E uma das músicas icônicas da banda é “Bola de Sabão”, que nos leva para “dar um rolé nas nuvens”. Aliás, também “pirou a cabeça e o coração” do Badauí (CPM22), que gravou a música com a Claudinha.

8. Mal Acostumado

Realmente, o som do Ara Ketu deixa a gente “Mal acostumado com o seu amor”. E, nos 20 anos desse hino, os axezeiros se juntaram à Luka para “trazer de volta o nosso sorriso”. Brincadeiras à parte, a ideia deles é criar um projeto que mistura Axé e Pop.   

9. Cabelo Raspadinho

Não dá pra falar de Axé sem Chiclete com Banana, né? Afinal, temos uma multidão de chicleteiros que buscam “fazer a paz, fazer amor, fazer o som”. E, seja qual for a sua cabeleira, saiba que ela “é chic, chic, chic demais”.

10. Pau que Nasce Torto / Melô do Tchan

Para fechar nossa lista, chegou a hora de “segurar o Tchan, amarrar o Tchan”. Se você já se perguntou o que esse melô significa, estamos juntos nessa. Por incrível que pareça, a canção mostra o machismo e a repressão das mulheres que buscam a liberdade sexual.    

Bônus: mais ritmos que se conectam com a energia e a história do Axé

Aliás, por falar em “quando você chegar numa nova estação, te espero no verão”… Nós, da Artcetera, te esperamos por aqui o ano todo, com muita energia positiva. Afinal, nosso coração continua batendo no ritmo contagiante da música original brasileira. 

Artcetera - perfil Instagram

Playlist com + de 35 músicas de Axé

Apesar de ser Carnaval o ano todo, o post está chegando ao fim. Mas, antes de ir embora, preparamos um presente em forma de benção. Ou seja, um presente em forma de Axé! Então, corre no Spotify para conferir a playlist [Axé Music] #4 Artcetera!

E, se você quiser conhecer a história de outros ritmos, leia mais posts do Blog: Samba, Reggae, Bossa Nova e mais!

Até a próxima! E com a benção do Axé! 🙌

Salvar