Descubra a diferença entre sample e plágio musical, bem como inspiração e cópia, além de conhecer 30 casos, incluindo Olivia Rodrigo e Adele

Se você está na internet em 2021, provavelmente sabe quem é Olivia Rodrigo, não é mesmo? E, ao ouvir seu hit “good 4 u”, talvez tenha percebido uma semelhança gritante com a música “Misery Business” da banda Paramore. Então, chegou a hora de descobrir a diferença entre sample e plágio, assim como inspiração, cópia e interpolação. 

Aliás, o debate Olivia x Paramore pegou fogo até que os compositores originais recebessem o crédito. Embora isso tenha acontecido de maneira retroativa, não é incomum ver casos de músicas que “se parecem” demais com outras, o que não costuma ser uma coincidência.   

Enfim, o caso de plágio da Olivia Rodrigo não é o único, pois Adele foi acusada de plagiar o ícone do Samba, Martinho da Vila. E, segundo o portal PopLine, vários artistas gringos já se “inspiraram” nas canções de brasileiros, incluindo Gotye, Rod Stewart, Kiss e Black Sabbath. 

Então, continue conosco para entender melhor sobre a diferença entre sample e plágio. Afinal, nada mais justo do que respeitar os direitos autorais aos artistas que criaram as versões originais, né?

O que você vai conferir neste post:

Na prática, qual a diferença entre sample e plágio?

Além de abordar a diferença entre sample e plágio, vale a pena falar sobre inspiração, cópia e interpolação. Para começar, vamos ao caso da Adele, que foi acusada de plagiar a música Mulheres ao lançar o hit Million Years Ago. Nesse caso, a canção brasileira é cantada por ninguém menos que Martinho da Vila e foi composta por Toninho Geraes.

Essa polêmica gerou grande repercussão nas mídias sociais e nos fez pensar: o que está acontecendo? Será que o produtor dela realmente copiou, sem dar o crédito ao autor? Se inspirou? Sampleou? Plagiou? Com isso em mente, abordaremos as diferenças entre sample, plágio, inspiração, cópia e interpolação, além de trazer exemplos práticos.

O que é plágio musical?

O plágio é quando alguém copia uma música sem a concessão de quem detém seus direitos autorais. Porém, o ato de plagiar vai além da ideia de que é necessário copiar a obra rigorosamente, sabia disso? 

Copiar a soma de particularidades de uma música já pode ser considerado como um plágio. Ou seja, também é plágio quando há apropriação das características que tornam aquela música única. E isso inclui: o modo de fazer, os traços visuais ou a mensagem ali passada.

Existem regras e leis (normalmente nada claras) que abordam a questão de propriedade intelectual e plágio, sendo musical ou não. No Brasil, a lei de direitos autorais é a Lei nº 9.610 de 19 de fevereiro de 1998. Especificamente sobre música, está explícito no 7º artigo, parágrafo V, que ficam protegidas “as composições musicais, tenham ou não letra.”

O que é sample musical?

Agora que você já entendeu o plágio, vamos falar de samples! Basicamente, é a utilização do trecho de uma música em outra, o que torna essa técnica muito comum. Aliás, a palavra sample vem do inglês e sua tradução literal significa “amostra”. E, encaixando perfeitamente no que fazemos no mundo da música, é “usar uma amostra de um outro som”. 

Na música, sempre usamos o termo em inglês ao invés de simplesmente falar “amostra”. E, como o bom brasileiro costuma “abrasileirar” as palavras, rola até o verbo “samplear”. Isto é, usar uma amostra. 

Além disso, o sample pode ser uma maneira de usar somente a batida de uma música para criar outro som em cima dele. No caso, isso não qualifica plágio ou traz a noção de que o artista está copiando outro. 

Falamos de batida ou percussão pois é a maneira mais difundida do uso do sample. Mas pode ser um trecho de guitarra, uma sequência cantada, elementos soltos de outra música ou até o próprio som completo em cima do outro. Em outras palavras, usar qualquer elemento de uma música já existente em uma música nova (ou em um remix).

Para resumir, a principal diferença entre sample e plágio está na obtenção de licença da criação. Logo, um artista que faz plágio pode ser processado ou, no mínimo, isso gera um desconforto entre colegas de profissão. No fim das contas, isso acontece porque não houve uma autorização das pessoas que detém os direitos da produção original.

Mas como fazer um sample de forma legal?

Há duas possibilidades para samplear sem crise: 

  • usar músicas de domínio público. Em geral, isso acontece após setenta anos da morte do compositor;
  • identificar quem são os donos dos direitos autorais, autores, compositores e responsáveis pelo fonograma. Depois, basta pedir a autorização para uso. 

Em ambos os casos, é bacana respeitar os compositores, principalmente quando de domínio público. Respeito é bom e a gente gosta! Especialmente nas obras dos artistas que amamos tanto, certo? 😉

O que é inspiração musical?

Todo artista precisa de inspiração para criar algo novo. Saber o que seu artista favorito escuta pode ajudar a entender seu processo criativo. E, até mesmo, dá pra ter uma ideia de como serão os próximos lançamentos.

Uma série muito legal que super recomendo é o What’s In My Bag da Amoeba, sobre gravadora e loja de discos americana. Os episódios são incríveis para ajudar a descobrir o que seu artista favorito tá escutando e até conhecer uns álbuns novos. Outra indicação é o livro Roube Como um Artista do Austin Kleon, leitura perfeita para quem produz (ou deseja produzir) arte!

É muito comum que artistas façam homenagens a seus ídolos com covers, referências e até pegando melodias emprestadas. Só que, nesse caso, dando os devidos créditos. E eu adoro ver novas interpretações novas de músicas antigas. Olha, até admito que para mim, quanto mais diferente o cover fica, melhor!

O que é cópia musical?

Muitas músicas que conhecemos são frutos de cópias. Por exemplo, você deve lembrar do clássico “Ragatanga”, da banda Rouge. Esse é um caso curioso, pois é uma cópia da cópia da cópia.

Segue o fio aqui: 

  • Ragatanga”, do Rouge, é uma versão de “Ketchup Song” da banda Las Ketchup; 
  • “Ketchup Song”, por sua vez, é uma cópia de “Rappers Delight”, do The Sugar Hill Gang;
  • “Rappers Delight” usou sample da famosa “Good Times”, do Chic;
  • E, só pra fechar, “Good Times” também foi usada como sample na “She Wolf”, da Shakira.

Sim, uma bagunça boa! Mas isso tudo rendeu músicas atemporais que conhecemos muito bem. Sabe aquela sensação de “eu conheço essa música, mas não exatamente assim”? 👀

Então, bora esclarecer essas coincidências e os limites entre plágio, inspiração e sample! Quer ver alguns exemplos? Cola nessa lista logo a seguir! Mas, antes disso, vamos fazer um breve parêntese para explicar o que é interpolação.

Artcetera - perfil Spotify

[+Bônus] O que é interpolação musical?

Falamos no começo do texto sobre o debate em torno de Olivia Rodrigo e a galera da banda Paramore, certo? Pois o que ela fez não é considerado nem plágio, nem inspiração e muito menos sample. 

Em mais de uma música do novo disco, a cantora fez a “interpolação”, que é usar uma melodia (ou parte de uma melodia) que já existe. É uma gravação recriada das notas da música, apenas a composição subjacente, uma espécie de apoio sonoro baseado em outro.

Inclusive é muito comum ver artistas independentes recriando melodias modernas com sintetizadores para dar um toque mais retrô. E, se você conhece alguma dessas músicas, comenta aqui abaixo do post, ok?

E lembre-se: para que isso seja legal, é necessário ter a autorização de quem é proprietário da composição subjacente. Para facilitar o entendimento, seguem os exemplos de interpolações sonoras que ocorrem dentro do próprio disco da cantora Olivia Rodrigo:

2 interpolações de Olivia Rodrigo x Paramore x Taylor Swift

A interpolação:

A original: 

Outra interpolação:

Outra original:

10 casos de plágio musical para entender a diferença entre sample e plágio

A seguir, acompanhe 10 exemplos para compreender a diferença entre sample e plágio no mundo da música:

1. Olivia Rodrigo x Paramore

O “plágio” que, na verdade, é uma interpolação:

A original:

2. Adele x Martinho da Vila

O (suposto) plágio:

A original:

3. Rod Stewart x Jorge Ben Jor

O plágio:

A original:

4. George Harrison x The Chiffons

O plágio:

A original:

5. The Beatles x Chuck Berry

O plágio:

A original:

6. Radiohead x The Hollies

O plágio:

A original:

7. Deep Purple x Carlos Lyra

O plágio:

A original:

8. Charlie Brown Jr. x Dead Kennedys

O plágio:

A original:

9. Dua Lipa x Cory Daye

O (suposto) plágio:

A original:

10. Ariana Grande x Fábio Jr.

Outro (suposto) plágio polêmico:

A original:

Extra: mais 11 músicas que foram consideradas como plágio

Para refletir sobre os limites e as diferenças entre sample e plágio, acompanhe mais algumas polêmicas: 

1. Superstar | Sonic Youth

2. Let’s Spend the Night Together | David Bowie

3. The Guns of Brixton | The Clash

4. Eighties | Killing Joke 

5. Bitter Sweet Symphony | The Verve

6. Thriller | Michael Jackson

7. Surfin’ USA | The Beach Boys

8. Whole Lotta Love | Led Zeppelin

9. Bitch Better Have My Money | Rihanna 

10. Ice Ice Baby | Vanilla Ice

11. O Careta | Roberto Carlos

+20 exemplos de samples famosos e suas controvérsias

A música feita de maneira eletrônica trouxe diversos avanços para o campo sonoro, inclusive o sample. A propósito, ele é muito mais comum do que você imagina – e podemos provar! 

Para isso, vamos deixar alguns exemplos de samples famosos, mas fique à vontade para fazer sua pesquisa. É divertidíssimo pesquisar músicas e artistas em sites como o  WhoSampled/

Nesse portal, você consegue identificar “quem usou sample de quem” e, ainda, “quem foi usado”. Realmente, é um catálogo beem vasto e que vale a pena dar uma conferida.

Para adiantar, aqui vão alguns samples famosos e suas fontes. E essa lista inclui hits brasileiros que são famosos no exterior, indo muito além da Bossa Nova:

1. Beyoncé x Chi-Lites

O sample:

A original:

2. Britney Spears x Anand Bakshi

O sample:

 A original:

3. Madonna x ABBA

O sample:


A original:

4. Racionais MC’s x Cassiano x Too $hort

O sample:

As originais:

5. New Order x Kraftwerk x Ennio Morricone

O sample:

As originais:

6. MC Fioti x Johann Sebastian Bach

O sample:

A original de Música Clássica:

7. M.I.A. x The Clash

O sample:

A original:

8. Beastie Boys x The Winstons

Praticamente qualquer música de Drum and Bass, mas vamos com essa! 

O sample:

A original:

9. Shaggy x War

O sample:

A original:

10. MF Doom x The New Scooby-Doo Intro

O sample:

A original:

11. Montagem Samuel x Samuel

O sample, com uma das montagens mais famosas do Funk carioca:

A original:

12. Lô Borges x Joey Bada$$ feat. CJ Fly

A original:

O sample:

13. Cassiano x NxWorries

A original:

O sample:

14. João Gilberto, Tom Jobim e Stan Getz x Beck

A original:

O sample:

15. Gal Costa x Kaytranada

A original:

O sample:

16. Arthur Verocai x Ludacris feat. Spike Lee & Common

A original:

O sample:

17. Baden Powell x The Black Eyed Peas

A original:

O sample:

18. James Blunt x Ávine Vinny e Matheus Fernandes

A original:

O sample:

19. Tim Maia x Djonga

A original:

O sample, que virou remake:

20. Belchior x Emicida part. Majur e Pabllo Vittar

A original:

O sample:

Extra: as controvérsias do sample atualmente

Apesar de demandar os direitos autorais, isso nem sempre acontece. E ainda há um debate extenso sobre quando o sample vira cópia. Em paralelo, isso pode virar a fonte de renda de pessoas que não pagam pelo direito de uso e execução pública de determinadas músicas.

Contudo, muitas pessoas querem produzir e criar música, mas não têm dinheiro ou influência suficiente para comprar os direitos. E mais: como elas conseguiriam entrar em contato com os autores? São muitas questões delicadas. E aí, o que você acha desse debate? Conta pra gente nos comentários!

8 exemplos de inspiração musical (incluindo covers e versões)

Agora que mostramos os exemplos para entender a diferença entre sample e plágio, vamos aos casos de inspiração:

1. The Outfield x Cidinho e Doca

Inspiração:

Resultado:

2. Sara Sonaya x Os Pedrero

Original:

Cover:

3. Elvis Presley x Leatherface

Original:

Cover:

4. Red Hot Chili Peppers x Hilltop Hoods

Original:

Cover:

5. Taylor Swift x Screaming Females

Original:

Cover:

6. Rage Against The Machine x Denzel Curry

Original:

Cover:

7. Doug E. Fresh & Slick Rick x Snoop Dogg

Original:

Nova versão:

8. Stevie Wonder x Coolio

Original: 

Nova versão:

Extra: mais inspirações no mundo da música

Homenagem do Useless ID para os Ramones

 Covers de Pop Punk feitos pelo Teenage Bottlerocket

Teenage Bottlerocket é uma banda grande de Pop Punk que fez um álbum só com covers de bandas menores para ajudar a divulgar:

Álbum de covers do Rage Against The Machine

Lógico que o álbum de covers do RATM não podia faltar:

Playlist com + de 45 samples famosos

Por aqui, adoramos playlists e, inclusive, temos várias opções no Spotify, viu?! E, como não podia ser diferente, criamos uma playlist exclusiva para o post: [Samples] #33 Artcetera. Corre lá pra conferir samples de: Anitta, Djonga, New Order, Racionais MC’s e mais. 

Plágio x sample x cover: as principais diferenças

Agora que falamos tudo isso sobre a diferença entre sample e plágio, vale colocar os pingos nos ‘is’ em relação ao cover. Para facilitar, confira os pontos-chave para ficar por dentro das produções originais, dos créditos para os artistas e, também, das “coincidências”: 

diferença entre sample, plágio e cover

Finalmente, esperamos que o post tenha esclarecido as diferenças entre sample e plágio. Aqui na Artcetera, valorizamos e respeitamos os músicos, até porque isso tem tudo a ver com a história da música. Por exemplo, aproveite para descobrir as origens do Rock, que tem influência de Blues, Folk, R&B, Country e Gospel. 😜

Artcetera - perfil Instagram

Salvar