A misteriosa história do Jazz com 7 curiosidades e os maiores artistas de todos os tempos: Miles Davis, Louis Armstrong, Ella Fitzgerald e +

Swing, Bebop, inovação, riffs e criatividade: o que isso tudo tem a ver com a história do Jazz? Hoje, vamos te contar como o povo de Nova Orleans se uniu para criar uma arte “improvisada”, mas que ganhou o mundo.

Aliás, o Jazz teve um papel fundamental na formação da identidade dos norte-americanos. Por falar nisso, o documentarista Ken Burns tentou “captar” a essência dos Estados Unidos em um documentário sobre esse gênero musical energizante.

Então, para conhecer a origem do ritmo que veio de New Orleans, vale conferir a série “História do Jazz”. Em 12 episódios, o cineasta mostra “o encontro entre a cultura das ruas e a criatividade da comunidade negra”, o que fez surgir esse novo jeito de fazer música.

7 curiosidades para conhecer a misteriosa história do Jazz

Assim como o Blues, a história do Jazz tem raízes africanas, com Spirituals e canções de trabalho. Contudo, os jazzistas também foram influenciados pela colonização europeia. Então, continue com a gente para descobrir como isso tudo aconteceu! 

1. O que significa Jazz?

Primeiramente, vamos ao básico: o que é o Jazz? Além de ser um ritmo, essa manifestação artístico-musical une diversas culturas que formam a identidade norte-americana. Mas o gênero não se limita às fronteiras dos EUA, pois a expressão popular ganhou o mundo.

Nesse sentido, a Unesco celebra o Dia Internacional do Jazz em 30 de abril. Isso porque a música tem “o papel diplomático de unir as pessoas em todos os cantos do globo”. E, mesmo com o isolamento da covid-19, muitas estrelas se uniram no concerto virtual em 2021.

2. Quem é considerado o fundador do Jazz?

Se você quer saber quem criou o Jazz, os críticos acreditam que foi o cornetista Buddy Bolden. No fim da década de 1890, esse neto de escravos misturou as “blue notes” típicas do Blues (e das work songs) com o ritmo sincopado do Ragtime

3. Mas como surgiu o Jazz? E onde nasceu?

Para saber onde surgiu o Jazz, vamos fazer uma imersão no legado multicultural de Nova Orleans. Afinal, a cidade norte-americana tem influências francesas, espanholas e afro-americanas, principalmente dos descendentes de escravos.

No período de 1890 e 1910, artistas como Buddy Bolden misturaram as tradições para criar novas músicas. E foi dessa inovação que começou a história do Jazz, envolvendo:

4. Como aconteceu a história do Jazz nos Estados Unidos?

A história do Jazz tem tudo a ver com a “melting pot” da cultura norte-americana. Ou seja, são vários ingredientes misturados no caldeirão para dar um novo sentido à expressão popular. E isso também envolve a Guerra Civil dos EUA, que aconteceu devido às controvérsias diante da escravavidão dos negros.

No caso, o estado da Louisiana (onde fica Nova Orleans) estava entre os escravagistas Confederados. E, mesmo após o fim da guerra, a cidade continuou sendo um local estratégico, tanto para o comércio, quanto para a passagem de pessoas de muitas origens. 

Por exemplo, podemos citar diversas influências que formaram esse caldeirão cultural:

  • escravos vindos do Caribe (cultura latina) e do interior dos Estados Unidos (mesma tradição rural do Blues);
  • mestiços “Créoles” e cultura “Cajun“, que traziam à tona os aspectos multirraciais;
  • liberdade sexual do bairro Storyville, com bares e bordéis que passaram a tocar Jazz.

Enfim, a mistura de influências abriu espaço para essa música nova e cheia de vitalidade. A propósito, dizem que o nome “jass” veio do perfume de jasmim das prostitutas de Storyville. Por outro lado, existe uma referência à gíria afro-americana “jasm”, que se traduz como “energia”.

Em 1922, a Original Creole Jazz Band gravou seu primeiro disco, com seus músicos negros de Nova Orleans. Logo depois, o ritmo começou a se popularizar em Chicago, ao estilo Dixieland

E, após a crise de 1929, o gênero ganhou muito mais espaço nos EUA. Entretanto, o Jazz tinha a fama ligada à imoralidade naquela época, devido à relação com os speakeasies. Ou seja, os locais de venda ilegal de bebidas alcóolicas.

5. E quanto à história do Jazz no Brasil?

No Brasil, o Jazz teve muita influência do que estava acontecendo nos Estados Unidos. Na década de 1950, por exemplo, a mistura deste gênero com o Samba inspirou a Bossa Nova

Falando nisso, alguns destaques do Jazz à moda brasileira são:

6. Quais são as características do Jazz? E os subgêneros?

Embora o Jazz tenha muitos estilos, algumas características permanecem “vivas” nos subgêneros, inclusive:

  • improviso;
  • criatividade;
  • música dançante;
  • liberdade artística;
  • arranjos não lineares;
  • sem leitura de partituras;
  • variedade melódica, rítmica e harmônica.

Mais estilos e subgêneros do Jazz

Jazz GIF - Find & Share on GIPHY

7. Quem são os maiores nomes do Jazz de todos os tempos?

Segundo a BBC e a Jazz FM, os 10 maiores nomes da história do Jazz são:

  1. Miles Davis
  2. Louis Armstrong
  3. Duke Ellington
  4. John Coltrane
  5. Ella Fitzgerald
  6. Charlie Parker
  7. Billie Holiday
  8. Thelonious Monk
  9. Bill Evans
  10. Oscar Peterson

Naturalmente, seria impossível escolher só 10 jazzistas, não é mesmo? Pensando nisso, vamos apelar para a licença poética, a fim de citar outros grandes nomes do Jazz mundial. E isso inclui compositores, pianistas, trompetistas, saxofonistas, cantores e daí em diante.

Jazzistas nacionais

Nessa harmonia, também precisamos citar 12 grandes jazzistas brasileiros, de acordo com o Jazz Mansion. Por sinal, o site destaca que os artistas nacionais “perambulam por estilos maravilhosos”, inclusive: Bossa Nova, MPB, Xaxado, Maracatu e afins.

E, claro, não podemos deixar de perguntar: você acha que temos outros grandes nomes do Jazz? Se a resposta for sim, conta pra gente nos comentários, ok?

10 músicas que marcaram a história do Jazz

Finalmente, chegou a hora do “improviso” que faz o nosso coração bater muito mais forte. Então, prepare-se para conhecer mais 10 hits que marcaram a história do Jazz!

1. So What

Não por acaso, o revolucionário trompetista Miles Davis é o primeiro nome da lista da BBC. Por ser tão criativo e habilidoso, dizem que ele “esfriou” o Bebop e lançou moda com um estilo mais sereno.

2. Feeling Good

A intrigante trajetória da cantora e pianista Nina Simone virou um filme. Então, corra pra ver “What Happened, Miss Simone?”, que fala da mente revolucionária dessa ativista racial. E a própria lenda do Jazz diz: “como ser artista e não refletir a época”?  

3. What a Wonderful World

Certamente, o cantor e trompetista Louis Armstrong é um dos nomes mais famosos da música. Com um estilo suave e, ao mesmo tempo, uma voz marcante, ele gravou hits como “What a Wonderful World”.

4. Dream a Little Dream on Me

Por sua vez, Ella Fitzgerald é uma das divas do Jazz e, ainda, da Bossa Nova. Por exemplo, ela gravou um medley de Desafinado com Stardust. Além disso, outro grande sucesso foi o álbum “Ella Abraça Jobim”, com músicas em Português, como “A Felicidade”.

5. My Favorite Things

Para os críticos, Coltrane é “o maior sax tenor do Jazz” e “um dos maiores compositores de todos os tempos”. E a influência dele vai muito além, envolvendo tanto o Rock quanto a Música Erudita.

6. Shadow of your Smile

Sabia que a lendária Sarah Vaughan gravou um dueto com o brasileiro Wilson Simonal, na época da TV Tupi? E o melhor: esse show icônico ganhou uma versão em DVD (muitos anos depois, claro). 

7. Time After Time

Aqui vai outra curiosidade: o trompetista Chet Baker tocou no Brasil em 1985, no Free Jazz Festival. E, se quiser conhecer mais dessa lenda da música, vale conferir o filme “Born to be Blue” e o documentário “Let’s Get Lost”.

8. Blue Moon

Além de ser uma das grandes vozes do Jazz, a cantora era uma ativista que lutava por direitos civis. Por isso, ela foi perseguida pelo governo dos EUA. E essa história é retratada na cinebiografia “The United States vs. Billie Holiday”.

9. It Don’t Mean a Thing If It Ain’t Got That Swing

Em meados de 1921, Duke Ellington já trabalhava na composição desse hit que marcaria a história do Jazz. Afinal, o “Swing” tomou conta dos Estados Unidos com as big bands e suas orquestras, principalmente após a Grande Depressão

10. My Baby Just Cares for Me

Por fim, chegamos ao famoso saxofonista Charlie Parker, cuja vida boêmia inspirou o filme “Bird”. No longa-metragem de Clint Eastwood, o grande jazzman foi interpretado pelo ator Forest Whitaker.

Bônus: a história do Jazz contada em muitos ritmos (e películas)

Enfim, gostou das curiosidades que marcaram a história do Jazz? Por aqui, somos “suspeitos” para falar disso, já que amamos a música. 

E, se o seu coração também bate acelerado quando ouve certas canções, aproveite para ler mais posts no Blog da Artcetera. ❤

Comentários

Salvar