Como a história do Hip Hop revolucionou o mundo com 4 elementos: Rap, DJ, Break e Grafite, com artistas como 2Pac, Eminem, Queen Latifah e +

Se você curte Rap, Discotecagem, Breakdance e Graffiti, chegou a hora de dar um rolê pela  história do Hip Hop. Afinal, esses são 4 pilares de um movimento cultural que mudou o mundo com uma pegada revolucionária.

Nesse esquema, a cultura de rua envolve: ritmo e poesia (Rap com MCs e DJs), dança (Break) e arte gráfica (grafite). Por sinal, o rolê traz à tona várias criações artísticas cheias de personalidade (até a moda street wear), além de um olhar poético para questões sociais.

Por isso, a primeira dica é conferir a série “Hip hop evolution”, apresentada por Darryl “D.M.C.” Matthews McDaniels. No documentário, você acompanha entrevistas com DJs, MCs, produtores e artistas que marcaram a história do Hip Hop, desde os anos 1970.

 

7 curiosidades sobre a cultura e a história do Hip Hop

Do “hip” (o que rola no momento) até o “hop” (o flow, o movimento da dança). Se você curte essa cadência rítmica, vem conhecer a história do Hip Hop.

1. O que significa Hip Hop?

Primeiramente, vamos entender o que significa Hip Hop. Mais do que um gênero musical, essa é uma manifestação cultural. Isso porque o movimento tem como base as críticas à desigualdade social, à violência e ao racismo, principalmente nas periferias.

Afinal, a cultura Hip Hop começou nas comunidades jamaicanas, afro-americanas e latinas de Nova Iorque. E o subúrbio tinha muitos problemas sociais, como: extrema pobreza, racismo, violência, tráfico de drogas e falta de infraestrutura.

2. Onde nasceu o Hip Hop? E como surgiu?

Para saber onde surgiu o Hip Hop, vamos ao mesmo lugar de onde veio o Rap: o Bronx, em Nova Iorque. Em 1969, o DJ Kool Herc trouxe para os Estados Unidos um costume dos guetos jamaicanos. Ou seja, as festas de rua começaram a ter equipamentos de som, assim como “batalhas” de Breakdance. 

Anos depois, esses eventos de rua se tornaram as block parties, que abriram espaço para o movimento Hip Hop. Então, continue com a gente para entender como esse esquema se desenrolou.

3. Quem é considerado o fundador do Hip Hop?

Na época das block parties, surgiu uma ONG para apoiar essas comunidades e reduzir a violência entre as gangues. Logo, se você quer saber quem criou o Hip Hop, o padrinho deste movimento é o DJ Afrika Bambaataa.

Por falar nisso, o dia 12 de novembro de 1973 é considerado como o nascimento do Hip Hop. Nessa data, o ativista Bambaataa fundou a ONG “Universal Zulu Nation” para promover os princípios do movimento Hip Hop: união, paz, amor e, também, diversão.

4. Como foi a história do Hip Hop nos Estados Unidos?

Com a influência de Herc e Bambaataa, a história do Hip Hop passou a fazer parte da cultura de rua dos EUA. Já em 1979, o Sugarhill Gang lançou o single “Rapper’s Delight”, que popularizou o ritmo no país.

Depois disso, muitos artistas começaram a se inspirar no movimento Hip Hop. Porém, a onda de violência continuava entre as gangues rivais. E isso causou muitos atentados, tendo como alvos o Tupac Shakur, o Notorious Big e outros rappers.  

5. E quanto à história do Hip Hop no Brasil?

No nosso país, o marco histórico do movimento é o disco “Hip-Hop Cultura de Rua”, lançado em 1988. Nele, temos a manifestação cultural de grupos que se encontravam no centro de São Paulo, no Largo São Bento, para dançar Break, grafitar e falar de música. 

E esses encontros tinham nomes de peso do movimento, como:

E, por falar nos grafiteiros Otávio e Gustavo Pandolfo, a trajetória dos artistas foi inspirada na cultura Hip Hop. Aliás, a Pinacoteca divulgou uma websérie da exposição OSGEMEOS: SEGREDOS, que fala bastante sobre a história do Hip Hop brasileiro. 

6. Quais os elementos do Hip Hop?

Se você quer saber quais são os elementos do Hip Hop, a gente precisaria de um livro pra te contar detalhes. Mas vamos agilizar o rolê com os 4 pilares do movimento.

  1. Rap: a união entre Rhythm and Poetry traz uma nova cadência, sendo que os MCs mesclam o canto com a fala. Nessa quebrada, vale lembrar que as letras deles têm um forte apelo social. 
  2. DJing: enquanto o MC lança a rima, o DJ faz a base musical. Antes, eles só tocavam nas periferias, mas agora discotecam até nos bairros nobres. Afinal, a linguagem do movimento Hip Hop conversa com a Música Eletrônica e outros ritmos.
  3. Grafitti: diferente do vandalismo e da pichação, o grafite é uma arte urbana feita em espaços públicos. Além da dupla Os Gêmeos que já citamos, vários artistas rodam o mundo grafitando com seus estilos únicos, como: Eduardo Kobra e Nina Pandolfo.
  4. Breakdance: essa é uma dança de rua, ao som Funk, Breakbeat ou Hip Hop. E os breakdancers fazem performances de cair o queixo, literalmente.

Por sinal, o breaking vai quebrar tudo nas Olimpíadas de Paris, em 2024. Então, se prepare para ver passos eletrizantes de b-boys como o Neguin e b-girls como a Itsa.

B-Boy Spinning GIF by Red Bull - Find & Share on GIPHY

7. Quem são os maiores nomes do Hip Hop de todos os tempos?

A BBC Music entrevistou 100 críticos para eleger as maiores faixas de Hip Hop de todos os tempos. E isso inclui os seguintes artistas:

  1. The Notorious B.I.G., com “Juicy
  2. Public Enemy, com “Fight the Power
  3. Mobb Deep, com “Shook Ones (Part II)
  4. Grandmaster Flash & The Furious Five, com “The Message
  5. Dr. Dre e Snoop Dogg, com “Nuthin’ But A ‘G’ Thang
  6. Wu-Tang Clan, com “C.R.E.A.M.
  7. Souls of Mischief, com “Til Infinity” 
  8. Pharcyde, com “Passin’ Me By
  9. Nas, com “N.Y. State Of Mind” 
  10. Tupac Shakur (2Pac), com “Dear Mama
  11. A Tribe Called Quest, com “Electric Relaxation
  12. Kanye West ft. Pusha T, com “Runaway
  13. Eric B & Rakim, com “Paid In Full
  14. Sugarhill Gang, com “Rapper’s Delight
  15. Pete Rock & C.L. Smooth, com “They Reminisce Over You (T.R.O.Y.)
  16. OutKast, com “B.O.B. – Bombs over Baghdad
  17. Ice Cube, com “It Was A Good Day
  18. N.W.A., com “Fuck Tha Police
  19. Queen Latifah, com “U.N.I.T.Y.
  20. UGK ft. OutKast, com “International Players Anthem
  21. Lauryn Hill, com “Doo Wop (That Thing)
  22. Eminem, com “Lose Yourself
  23. Clipse, com “Grindin
  24. Kanye West ft. Rihanna e Kid Cudi, com “All Of The Lights” 
  25. Kendrick Lamar, com “Alright

Mais artistas de Hip Hop

Por sua vez, a Billboard listou os 50 maiores artistas de Hip Hop da última década, junto com os astros de R&B. Então, além dos nomes que já citamos na seleção da BBC, também temos:

De quebra, tomamos a liberdade de incluir mais alguns nomes de peso do Hip Hop, seja na cena mundial ou nacional:

E aí, quem você acha que podemos incluir nessa lista? Se quiser, pode dar a letra nos comentários para os próximos posts! Além disso, se liga na nossa playlist de Hip Hop no Spotify! 🎶

10 músicas para curtir o movimento e a história do Hip Hop

Agora, chegou a hora da fita mil-grau. Então, continue com a gente pra conferir 10 músicas da história do Hip Hop. 

1. Gangsta’s Paradise

Para começar, vamos com o flow de uma das canções mais famosas do mundo desde 1995. Falando nisso, o clássico do Coolio foi gravado para o filme Dangerous Minds, com a estrela Michelle Pfeiffer.

2. All Eyez On Me

“All Eyez On Me” é um dos singles que levaram 2Pac ao 1º lugar na parada Billboard 200, no ano de 1996. Naquela época, era um fenômeno vender 566.000 cópias na semana de lançamento do álbum.

3. Alright

O hino “Alright” nos mostra o impacto causado pela revolução do Hip Hop no mundo todo. Por exemplo, manifestantes cantaram essa música de Kendrick Lamar durante um protesto contra a polícia nos EUA

4. U.N.I.T.Y.

A ganhadora do Grammy, Queen Latifah, lança um manifesto contra o desrespeito às mulheres. No single, ela fala de assédio na rua, violência doméstica e insultos misóginos. Aliás, a rainha da sororidade manda a real: “um homem não te ama de verdade se ele te bate”.

5. ‘Till I Collapse

Apesar de não ter sido lançado como um single, “Till I collapse” bateu a marca de 1 bilhão de streams. Com este recorde, a parceria entre Eminem e Nate Dogg está se começando a se aproximar das visualizações de outros hits, como “Lose Yourself”. 

6. Player’s Anthem

Por meio da crew Junior M.A.F.I.A., os rappers Notorious B.I.G., Lil’ Kim & Lil’ Cease lançaram  “Player’s Anthem”. A propósito, “M.A.F.I.A.” é uma sigla para Masters At Finding Intelligent Attitudes.

7. 99 Problems

Sabia que os “99 Problems” inspiraram até mesmo um ilustrador que retratou os possíveis perrengues do Jay-Z? Por essa a gente não esperava! Então, corre lá no Tumblr do Ali Graham para se divertir com uma série de ilustrações.

8. Da Ponte pra Cá

Você já parou pra pensar que “o mundo é diferente da ponte pra cá”? Realmente, os Racionais MC’s têm o dom de mostrar o abismo social em que nós vivemos. Afinal, muita gente quer “o mundo igual Cidadão Kane”, né não?

9. No Role Modelz

Ao maior estilo “first things first”, esse hit do J. Cole pode ser uma das trilhas do jogo FUSER, sabia? Na verdade, essa é uma faixa jogável extra desse “nonstop festival where you control the music”.

10. O Invasor

Pra fechar com o sangue-bom, finalmente chegamos à trilha sonora de “O Invasor”. Aliás, se você ainda não viu, corre pra assistir um dos 100 melhores filmes brasileiros. E o melhor: o Sabotage atua no longa, interpretando ninguém mais, ninguém menos, que ele mesmo.

Bônus: mais músicas influenciadas pela história do Hip Hop

Playlist com 45 músicas de Hip Hop

Nessa pegada, criamos a playlist [Hip Hop] #3 Artcetera com mais de 40 músicas citadas aqui do post (e algumas mais). Então, é só seguir o flow lá no Spotify! 

Se você curtiu a história do Hip Hop, conta pra gente o que você mais gosta nesse movimento. Aqui na Artcetera, tá meio embaçado decidir o que é melhor: o som, a dança, o grafite, a moda e tudo mais. No fim das contas, curtimos o rolê todo!

Então, quebra essa pra gente? Pode dar a letra nos comentários! 

Comentários

Salvar