Confira os games que se destacaram por gerarem mais assuntos polêmicos nesse primeiro semestre de 2024

Os-5-jogos-que-mais-geraram-assuntos-polemicos-em-2024-Introducao
Os 5 jogos que mais renderam assuntos polêmicos em 2024 3

Os games formam um nicho de entretenimento que, desde o início, sempre gerou discussões, reflexões e críticas na sociedade. Algumas das suposições mais famosas levantadas (sem uma resposta definitiva) sobre os games são: estragar os televisores, gerar vícios, tornar os jogadores violentos, exibir conteúdos adultos desnecessariamente, entre várias outras críticas sociais que, de tempos em tempos, tornam a estar em alta debates levantados nos canais de TV e pela internet.

Em 2024, diversos jogos chamaram a atenção do público, da crítica especializada e obviamente de quem é contra os jogos eletrônicos por diversos assuntos polêmicos. Então, para discutir um pouco essas temáticas e aprofundar o debate, listamos os 5 jogos que mais renderam assuntos polêmicos em 2024.

✶ Suicide Squad: Kill The Justice League

Começamos nossa lista de jogos que geram assuntos polêmicos com um jogo que, infelizmente, volta a manchar a história dos jogos baseados em super-heróis. Produzida pela Rocksteady, mesma empresa responsável pela excelente trilogia dos jogos Batman: Arkham e inclusive o jogo se passa 5 anos após o último game desse universo, o jogo da equipe de vilões estava cercado de expectativas. O filme recente do Esquadrão Suicida teve um recepção razoável e a personagem Arlequina está em alta na cultura pop. Porém, infelizmente, o que tinha tudo pra dar certo, pecou em detalhes importantes.

A narrativa é bem trabalhada com boas cutscenes e diálogos, os personagens mais famosos da DC Comics estão presentes com excelente visual, o humor e a personalidade dos personagens é bem fiel às obras originais, cenários lindíssimos…Até aqui, tudo foi muito bem feito. Mas, vamos aos problemas… Primeiramente, o estilo da gameplay de Tiro em 3ª pessoa tornou o uso dos diferentes personagens em uma experiência similar e repetitiva. Segundo, o sistema de loots e a monotonia do grind necessário nas missões torna o jogo extremamente cansativo e desinteressante. Por fim, a pouca variedade de armas finaliza o combo de pontos negativos.

Enfim, a volta da percepção no público de que jogos de super-heróis geralmente são ruins, juntamente com outros jogos recentes, e o desgaste de uma possível franquia secundária são alguns dos principais assuntos polêmicos levantados por Suicide Squad: Kill The Justice League. É uma grande pena, pois esse título tinha tudo pra ser um dos melhores jogos do ano. Repetitivo, cansativo, sem motivar os jogadores para continuarem a completar o pós-jogo e sem despertar o desejo de jogá-lo novamente.


✶ Assassin’s Creed Shadows

Seguimos nossa lista com um jogo que ainda nem foi lançado, mas já levantou diversos assuntos polêmicos. Assassin’s Creed Shadows apresentou 2 personagens principais: Yasuke, um samurai negro, e Naoe, uma ninja feminina. Yasuke é baseado em um personagem real, que foi um samurai que não obteve o título de nobreza desses guerreiros, apesar de sua eficiência em combates.

E quais são as controvérsias desse jogo? Bem, todas elas estão em torno dos protagonistas. Primeiramente, diversas pessoas lamentáveis manifestaram os seu racismo e machismo pelos personagens serem, respectivamente, negro e mulher. Em segundo lugar, a imprecisão histórica dos fatos que envolvem o Yasuke, que são bem diferentes da história real do samurai. Felizmente, muitos jogadores celebraram a representatividade deles na franquia, mas isso ficou em segundo plano por causa desses tristes assuntos polêmicos que reverberaram mais do que mereciam.


✶ Skull And Bones

Falando em jogos que prometeram muito e entregaram pouco, temos o Skull And Bones que foi uma decepção completa para os jogadores que ansiavam por seu lançamento. A promissora ideia de se tornar um pirata lendário na Era de Ouro da Pirataria no mundo é rapidamente frustrada pela repetitividade extremamente tediosa das inúmeras missões do jogo. Você se torna praticamente um mercenário pouco reconhecido, que passa o game inteiro cumprindo tarefas de navegar, caçar e coletar itens, indo e voltando pelos mares como um entregador de encomendas.

Não haveria nada de mais nisso, tirando a repetição na gameplay, se as recompensas fossem dignas. Porém, nem isso se salva. Pra piorar, os NPCs são bem genéricos, repetindo falas similares sem aprofundar o enredo do game. Outra coisa que é bem frustrante é o teórico sistema de punição do jogo, onde seus atos não tem nenhuma consequência real no jogo. E, para finalizar, a navegação pelos mares não transmite nenhum perigo ao barco e à tripulação, como seria na vida real. Enfim, um jogo super simples, que não condiz com a sua proposta inicial e que é maçante com pouco tempo de jogatina.


✶ Palworld

Um poço de assuntos polêmicos, seja pela comunidade, seja pela mídia. Palworld chegou dividindo a opinião dos jogadores, por ser um jogo extremamente similar à consagrada franquia Pokémon. Com diversos bichinhos genéricos, onde muitos são cópias levemente alteradas dos monstros de bolso originais, muitos fãs mais fieis da franquia da Nintendo criticaram o suposto plágio do novo jogo.

Outra coisa bastante criticada é a presença de armas no jogo, inclusive manejadas pelos próprios monstrinhos. Segundo muitos críticos, um título destinado para crianças trazer esse tipo de violência envolvendo bichinhos fofinhos poderia passar uma mensagem errada para os jovens. Enfim, plágio e armas são os principais assuntos polêmicos levantados por Palworld, que bem ou mal fez um baita sucesso e bastante “barulho” no mercado dos games.


✶ Stellar Blade

Fechando a nossa lista, trazemos o jogo que gerou mais assuntos polêmicos neste ano de 2024. Stellar Blade recebeu críticas pesadas sobre objetificação e hiper sexualização da personagem feminina protagonista. Com uma imensa variedade de figurinos bem reveladores, e um foco de câmera que permite que o jogador veja a personagem Eve de ângulos super sugestivos, uma imensa parte da crítica especializada e também muitos jogadores reclamaram que o restante do jogo fica em segundo plano. Parece que a desenvolvedora fez questão de dar destaque excessivo à silhueta dela, em detrimento do resto.

Mas, se avaliarmos esses demais elementos de gameplay, o jogo é muito bom. O sistema de combate é bem similar ao de outros jogos Hack ‘n Slash, como Bayonetta e Devil May Cry, sendo bem simples de se adaptar a ele. Os cenários e efeitos especiais do jogo são muito bem feitos, e o enredo é relativamente cativante. Porém, é inegável que o foco no corpo da Eve é inevitável e muitas vezes forçado, seja em cenas em CGI, seja na própria gameplay.


Esses foram os 5 jogos com mais assuntos polêmicos em torno deles em 2024. E aí, o que você achou desses jogos? Já jogou algum deles? Concorda com as críticas? Deixe a sua opinião aqui na Seção de Comentários deste artigo. De brinde, veja o vídeo abaixo com as polêmicas mais absurdas e sem noção envolvendo videogames.

Para mais informações e opiniões sobre games, cinema, arte, cultura, entretenimento e assuntos interessantes variados, continue acessando diariamente o nosso site aqui do Artcetera. Muito obrigado e até o próximo artigo!

Leia Mais

Os 10 jogos mais aguardados para 2025

Os 10 jogos furry mais amados pelos Furries

Os 10 melhores jogos hentai para PC

Categorizado em: