Bárbara Moraes

Sou dessas que, sem a arte, morreria da verdade. Sim, gosto de Nietzsche, mas me encontro no Gabo e até no Neruda. Adoro experiências surreais, noites estreladas, roteiros intrincados e músicas que inspiram o infinito particular. Aliás, como diria Oswaldo Montenegro: “Que a minha loucura seja perdoada, pois metade de mim é amor e a outra metade, também”! 🖤
Salvar